BR112012019926A2 - Aparelho de emissão de som de notificação de veículo. - Google Patents

Aparelho de emissão de som de notificação de veículo. Download PDF

Info

Publication number
BR112012019926A2
BR112012019926A2 BR112012019926-9A BR112012019926A BR112012019926A2 BR 112012019926 A2 BR112012019926 A2 BR 112012019926A2 BR 112012019926 A BR112012019926 A BR 112012019926A BR 112012019926 A2 BR112012019926 A2 BR 112012019926A2
Authority
BR
Brazil
Prior art keywords
vehicle
notification sound
sound
motion
notification
Prior art date
Application number
BR112012019926-9A
Other languages
English (en)
Inventor
Hidronori Saito
Katsumi Kimura
Tsuyoshi KANUMA
Hideo Yoshino
Yuji Watanabe
Toshiyuki Yamamoto
Original Assignee
Nissan Motor Co., Ltd.
Priority date (The priority date is an assumption and is not a legal conclusion. Google has not performed a legal analysis and makes no representation as to the accuracy of the date listed.)
Filing date
Publication date
Priority to JP2010-026123 priority Critical
Priority to JP2010026123A priority patent/JP5800461B2/ja
Priority to JP2010026117A priority patent/JP5526839B2/ja
Priority to JP2010-026117 priority
Priority to JP2010026118A priority patent/JP5521600B2/ja
Priority to JP2010-026118 priority
Application filed by Nissan Motor Co., Ltd. filed Critical Nissan Motor Co., Ltd.
Priority to PCT/IB2011/000199 priority patent/WO2011098881A1/en
Publication of BR112012019926A2 publication Critical patent/BR112012019926A2/pt

Links

Classifications

    • BPERFORMING OPERATIONS; TRANSPORTING
    • B60VEHICLES IN GENERAL
    • B60QARRANGEMENT OF SIGNALLING OR LIGHTING DEVICES, THE MOUNTING OR SUPPORTING THEREOF OR CIRCUITS THEREFOR, FOR VEHICLES IN GENERAL
    • B60Q9/00Arrangements or adaptations of signal devices not provided for in one of the preceding main groups, e.g. haptic signalling
    • BPERFORMING OPERATIONS; TRANSPORTING
    • B60VEHICLES IN GENERAL
    • B60QARRANGEMENT OF SIGNALLING OR LIGHTING DEVICES, THE MOUNTING OR SUPPORTING THEREOF OR CIRCUITS THEREFOR, FOR VEHICLES IN GENERAL
    • B60Q5/00Arrangements or adaptations of acoustic signal devices
    • B60Q5/005Arrangements or adaptations of acoustic signal devices automatically actuated
    • B60Q5/008Arrangements or adaptations of acoustic signal devices automatically actuated for signaling silent vehicles, e.g. for warning that a hybrid or electric vehicle is approaching

Abstract

aparelho de emissão de som de notificação de veículo trata-se de um aparelho de emissão de som de notificação de veículo que é basicamente fornecido com um dispositivo de emissão de som (1,11) e um dispositivo de controle de som de notificação (12). o dispositivo de emissão de som (1,11) é configurado para emitir um som de notificação de movimento para um exterior de um veículo para informar uma pessoa em uma área circundante ao veículo que o veículo irá se mover. o dispositivo de controle de som de notificação (12) é configurado para operar o dispositivo de emissão de som (1,11) em resposta à ocorrência de uma condição de veículo. o dispositivo de controle de som de notificação (12) define o som de notificação de movimento do dispositivo de emissão de som (1,11) para uma frequência em uma faixa de 1,5 khz a 6 khz.

Description

"APARELHO DE EMISSÃO DE SOM DE NOTIFICAÇÃO DE VEÍCULO" Referência Cruzada aos Pedidos Relacionados - Este pedido reivindica a prioridade sob 35 U.S.C. § 119 para os pedidos de patente japoneses n° 2010-026117, n° 2010-026118 e n° 2010-026123, depositados em 9 de feve-
. 5 reiro de 2010. Todas as revelações dos pedidos de patente japoneses n° 2010-026117, n° 2010-026118 e n° 2010-026123 são incorporadas através do presente documento na pre- sente invenção a título de referência.
Antecedentes Campo da lnvenção 10 A presente invenção refere-se geralmente à tecnologia de emissão de som de vei- culo para informar uma pessoa em uma área circundante do veículo que o veiculo está em movimento, ou está para se mover, em uma direção de avanço, por exemplo, para frente ou para trás.
Mais especificamente, a presente invenção se refere a um aparelho de emissão
. de som de notificação de veiculo que emite um som de notificação para informar pessoas 15 sobre a existência do veículo. % lnformações Antecedentes Alguns veiculos têm um som operacional elou som de movimento bastante silenci- oso (que inclui um veículo equipado com um mecanismo de combustão interna). Por exem- plo, um veículo alimentado com eletricidade tal como um carro elétrico configurado para ser 20 eletricamente acionado (acionamento EV) com o uso somente de um motor elétrico é tipi- camente bastante silencioso enquanto em operação e/ou movimento.
Ademais, por exem- plo, um veículo híbrido que tem um modo de acionamento elétrico (modo EV) em que o veí- culo é acionado simplesmente coni um motor elétrico é tipicamente bastante silencioso en- quanto em operação e/ou movimento.
Em tais veículos bastante silenciosos, o som operaci- 25 onal e/ou som de movimento (informações de velculo) tal como a existência do veículo, uma intenção de um motorista conforme indicado por uma troca de marcha ou outra operação, uma direção de avanço do veículo (para frente ou para trás), uma velocidade do veiculo e/ou outra condição de percurso do veículo sãci frequentemente não perceptíveis por uma pessoa em uma área circundante do veículo através da emissão de um som de notificação " 30 para o exterior do velculo.
Dessa forma, enquanto tipicamente é desejável que os ocupantes do veículo tenham um veículo bom, existem vezes que é desejável que o veículo conduza a existência do veiculo para uma pessoa em uma área circundante do veiculo através da emissão de um som de notificação para o exterior do veiculo.
Dentre as informações de veículo mencionadas acima, a tecnologia tem sido pro- 35 posta para emitir um som de notificação de movimento para informar uma pessoa em uma área exterior circundante ao velculo que o veiculo está em movimento em uma direção fron- ta! ou uma direção reversa, (isto é, uma direção de avanço). Por exemplo, a tecnologia de som de notificação de movimento convencional é revelada na publicação de patente japone- sa aberta à inspeção pública n° 2002-233001 em que um som de notificação de movimento é emitido para indicar o movimento do veículo em uma direção de avanço.
Mais especifica- mente, essa publicação de patente apresenta uma tecnologia em que um pseudo som de
- 5 mecanismo que parece com o som de um veícuio acionado por um mecanismo é emitido como um som de notificação de movimento.
Um outro exemplo de tecnologia de som de
- notificação de movimento convencional é revelado na publicação de patente japonesa aber- ta à inspeção pública n° 2004-1 36831 em que um aparelho de emissão de som de notifica- ção emite um som de notificação de movimento dianteiro para informar uma pessoa em uma 10 área circundante de um veículo que o veiculo está em movimento dianteiro quando o veículo começou a se mover para frente a partir de uma parada.
Ainda um outro exemplo de tecno- logia de som de notificação de movimento convencional é revelado na publicação de patente japonesa aberta à inspeção pública n° 2005-343360 em que um aparelho de emissão de
. som de notificação emite um som de notificação de movimento dianteiro para informar uma 15 pessoa em uma área circundante de um veículo que o veículo está em movimento dianteiro " quando o velculo começou a se mover para frente a partir de uma parada.
Um volume do som de notificação é mudado quando o veículo está começando a se mover e quando o veículo está em movimento.
Com esses aparelhos convencionais de emissão de som de notificação de veículo, uma pessoa em uma área circundante ao velculo pode reconhecer 20 que um veiculo em movimento está próximo através da audição do pseudo som de meca- nismo ou outro som e tomar cuidado.
Dessa forma, o aparelho auxilia na prevenção de aci- dentes.
Sumário Foi descoberto que o aparelho convencional de emissão de som de notificação de 25 veículo, tal como o mencionado acima, simplesmente emite um pseudo som de mecanismo como um som de notificação de movimento.
Entretanto, essa tecnologia convencional não controla a qualidade do som de notificação.
Dessa forma, não há segurança de que um som de notificação de movimento emitido a partir de um aparelho convencional de emissão de som de notificação de veículo será facilmente ouvido por uma pessoa em uma área circun- " 30 dante ao exterior do velculo.
Dependendo do ambiente, pode ser dificil de escutar o som de notificação e um efeito de notificação suficiente pode não ser alcançável em um aparelho convencional de emissão de som de notificação de veículo.
Conforme explicado na publicação de patente japonesa aberta à inspeção pública n° 2002 233001, é necessário adotar uma medida especial, tal como aumentar o volume do 35 som de notificação de movimento, quando o velculo está em um ambiente em que é difícil ouvir o som de notificação.
Entretanto, o custo do aparelho e os aumentos da taxa de falhas do aparelho de emissão de som de notificação aumentam quando um dispositivo de detec-
u ção é fomecido para verificar o ambiente circundante e um dispositivo de aumento de volu- me é fomecido para aumentar o volume do som.
Mesmo se o som de notificação de movimento for configurado para ter um tom que é more facilmente ouvido por uma pessoa em uma área circundante ao veículo de tal rnodo
- 5 que as medidas especiais mencionadas acima não sejam necessárias, haverá outros pro- blemas que serão explicados agora.
O som de notificação de movimento é uma notificação " destinada a pessoas no exterior do veículo.
O som de notificação de movimento não é ne- cessário para um motorista ou passageiro no interior do veiculo.
Se o som de notificação de movimento emitido no exterior do veículo penetrar um interior da cabine (compartimento de 10 passageiro) do veicuio, então, o som de notificação de movimento pode ser desagradável para um motorista elou passageiros no interior do veículo. lsso é particularmente o caso case quando o som de notificação de movimento é um pseudo som de mecanismo como aquele descrito na publicação de patente japonesa aberta à inspeção pública n° 2002-
. 233001. Ademais, o som de notificação de movimento pode ser desagradáve! para um mo- 15 torista e/ou passageiros no interior do veículo se o som de notificação de movimento for con- " figurado para ser emitido continuamente por períodos longos de tempo em comparação a outras notificações de informações de veiculo.
Um aspecto da presente revelação consiste em fornecer um aparelho de emissão de som de notificação de veículo que pode emitir um som de notificação de movimento (por 20 exemplo, um som de notificação de movimento dianteiro ou um som de notificação de mo- vimento reverso) que pode ser ouvido facilmente por uma pessoa em uma área exterior cir- cundante ao veiculo, mas que não penetra facilmente em um interior da cabine do veículo a partir do exterior do veiculo.
Dessa forma, com esse tipo de aparelho de emissão de som de notificação de veículo, uma pessoa em uma área exterior circundante ao veículo pode ouvir 25 o som de notificação de movimento de uma maneira confiável sem usar um dispositivo de aumento de volume de som ou outra medida especial, e evitar uma situação em que um som de notificação desnecessário de movimento penetra no interior da cabine que se torna desagradável para um motorista e/ou passageiro.
Um outro aspecto da presente revelação consiste em fornecer um aparelho de " 30 emissão de som de notificação de veículo que pode conduzir informações de velocidade e informações de distância relacionadas a um veiculo para uma pessoa em uma área circun- dante do velculo.
Ainda um outro aspecto da presente revelação consiste em fornecer um aparelho de emissão de som de notificação de veículo que pode emitir sons de notificação que indi- 35 cam que um veículo está em um estado de inlcio de movimento ou um estado de movimento sem atrapalhar um motorista.
Em vista da tecnologia convencional mencionada acima, um aparelho de emissão
W
4/35 ©
_ de som de notificação de veiculo de acordo com a presente revelação conforme será expli- cado abaixo.
As caracterlsticas básicas de um aparelho de emissão de som de notificação de acordo com a presente revelação são baseadas na premissa de que o aparelho irá servir para emitir um som de notificação de movimento para informar uma pessoa em uma área
- 5 circundante que o veiculo está em movimento.
É proposto um aparelho de emissão de som de notificação de veículo de acordo com a presente revelação que compreende basicamente um dispositivo de emissão de som e um dispositivo de controle de som de notificação.
O dispositivo de emissão de som é con- figurado para emitir um som de notificação de movimento para um exterior de um veículo 10 para informar uma pessoa em uma área circundante ao velculo que o veículo irá se mover.
O dispositivo de controle de som de notificação é configurado para operar o dispositivo de emissão de som em resposta à ocorrência de uma condição de veículo.
O dispositivo de controle de som de notificação define o som de notificação de movimento do dispositivo de
. emissão de som para uma frequência em uma faixa de 1,5 KHz a 6 KHz. 15 Esses e outros objetivos, características, aspectos e vantagens da presente inven-
· ção se tornarão evidentes para aqueles elementos versados na técnica a partir da seguinte descrição detalhada, que, tomada em conjunto com os desenhos anexos, revela uma moda- lidade preferencial do aparelho de emissão de som de notificação.
Breve Descrição dos Desenhos 20 É feita referência agora aos desenhos anexos que formam uma parte dessa revela- ção originai: A Figura 1 é a digrama de bloco de controle que mostra um sistema de controle ou aparelho de emissão de som de notificação de veiculo que inclui um controlador de som de notificação para controlar um dispositivo de emissão de som de notificação do aparelho de 25 emissão de som de notificação de veiculo de acordo com uma modalidade ilustrada; A Figura 2 é um fluxograma que mostra um programa de controle executado pelo controlador de som de notificação mostrado na Figura 1 a fim de controlar o início de um som de notificação de movimento de início dianteiro S; A Figura 3 é um fluxograma que mostra a programa de controle executado pelo " 30 controlador de som de notificação mostrado na Figura 1 a fim de controlar um som de notifi- cação de movimento dianteiro D; A Figura 4 é um fluxograma que mostra a programa de controle executado pelo controlador de som de notificação mostrado na Figura 1 a fim de controlar um som de notifi- cação de movimento reverso R: 35 A Figura 5 é um fluxograma que mostra um programa de controle executado pelo controlador de som de notificação mostrado na Figura 1 a fim de proibir a emissão de um som de notificação a partir do dispositivo de emissão de som de notificação;
A Figura 6 é um fluxograma que mostra um programa de controle executado pelo controlador de som de notificação mostrado na Figura 1 a fim de aumentar um volume de um som de notificação emitido a partir do dispositivo de emissão de som de notificação.
A Figura 7 é um diagrama característico que mostra exemplos de uma propriedade
- 5 de isolamento de som de interior da cabine para dois veiculos A e B; A Figura 8 é um diagrama caracteristico que mostra curvas de nível de volume alto iguais que expressam uma sensibiiidade de um ouvido humano; e A Figura 9 é um mapa que expressa um controle de definição de frequência execu- tado pelo controlador de som de notif'icação para controlar uma frequência do som de notifi- lO cação de movimento dianteiro D.
Descrição Detalhada de Modalidades As modalidades selecionadas serão explicadas em referência aos desenhos.
Será evidente para aqueles elementos versados na técnica que as seguintes descrições das mo-
. dalidades são fornecidas somente a titulo de ilustração e não com o propósito de limitar a 15 invenção conforme definido pelas reivindicações anexas e seus equivalentes. b Referindo-se inicialmente à Figura 1, é ilustrado um aparelho de emissão de som de notificação de veiculo de acordo com uma modalidade.
Mais especificamente, a Figura 1 é um diagrama de sistema de controle que mostra um sistema de controle para controlar dispositivos de emissão de som de notificação do aparelho de emissão de som de notifica- 20 ção de veículo.
Nessa modalidade ilustrada, um alto-falante exterior de cabine 1 é fornecido como um dispositivo de emissão de som de notificação exterior para expedir uma notificação para uma pessoa (por exemplo, pedestre ou piloto de motocicleta) em uma área exterior circundante ao veiculo.
Também nessa modalidade ilustrada, um alto-falante interior de ca- bine 11 é fornecido como um dispositivo de emissão de som de notificação interior para ex- 25 pedir uma notificação para um motorista.
Na modalidade ilustrada, um veículo em que o aparelho de emissão de som de noti- ficação é usado é um carro elétrico que não somente tem um motor elétrico como uma fonte de alimentação, mas também é acionado eletricamente (acionamento EV) com o uso do motor elétrico.
Entretanto, deve ficar cIaro a partir dessa revelação que o aparelho de emis- " 30 são de som de notificação de veículo revelado na presente invenção também pode ser apli- cado a um veículo híbrido que tem tanto um motor elétrico quanto um mecanismo como fon- tes de alimentação, onde o veiculo é acionado simplesmente com o motor elétrico em um modo de acionamento elétrico (modo EV), e acionado com potência tanto do motor elétrico quanto do mecanismo em um modo hlbrido (modo HEV). Da mesma forma, o aparelho de 35 emissão de som de notificação de veículo revelado na presente invenção pode ser aplicado a um veículo acionado por mecanismo que tem somente um mecanismo como uma fonte de alimentação.
Na modalidade ilustrada, o alto-falante exterior de cabine 1 é disposto em um espa- ço no interior de um compartimento de motor de uma porção frontal do veículo. O comparti- mento de motor do veiculo é onde uma unidade de potência é localizada, que inclui um mo- tor elétrico que serve como uma fonte de alimentação do carro elétrico e uma transmissão.
- 5 Mais especificamente, o alto-falante exterior de cabine 1 é disposto em um espaço onde lama, rochas e outros contaminantes pegos pelas rodas não irão entrar no alto-falante e tais 0 contaniinantes como chuva, neve e água de uma lavagem de carro de alta pressão não irão entrar no alto-falante. Através do uso desse espaço como uma caixa de ressonância para o alto-falante exterior de cabine 1, o aparelho de emissão de som de notificação de acordo 10 com essa modalidade pode ser feito em uma fonte de som não direcional. O alto-falante exterior de cabine 1 e o alto-falante interior de cabine 11 são contro- lados por um controlador de som de notificação conforme mostrado na Figura 1. O controla- dor de som de notificação 12 recebe sinais de um sensor de faixa 13, um sensor de veloci- - dade do veículo 14, uma chave de freio 15, uma chave de mudo 16, uma chave de aumento 15 de volume de som 17, uma chave de ignição 18 e um sensor de distância de obstáculo 19. " Nessa modalidade ilustrada, o controlador de som de notificação 12 corresponde a um dis- positivo ou seção de controle de som de notificação. Basicamente, o controlador de som de notificação 12 é configurado para operar os alto-falantes 1 e 11 (por exemplo, os dispositi- vos de emissão de som) em resposta à ocorrência de uma condição de veículo tal como 20 movimento do veículo ou preparação para movimento do velculo. Os alto-falantes 1 e 11 emitem vários sons de notificação de movimento dependendo da condição de veículo. O termo "som de notificação de movimento" é genericamente usado no presente documento para se referir tanto ao movimento real do veiculo bem como à preparação para iniciar o movimento do velculo em uma direção de avanço para frente elou uma direção de avanço 25 para trás. O termo "estado de direção" conforme usado na presente invenção se refere a um veículo em um estado de não movimento, mas com o veículo pronto para se mover median- te a operação de um acelerador ou similares. O sensor de faixa 13 é configurado para detectar se a transmissão do veículo é de- finida para Estacíonar (P), Marcha Ré (R), Neutro (N) ou Dirigir (D) através da reação a uma . 30 operação de troca (seleção de faixa) executada por um motorista para estacionar o velculo ou designar uma direção de movimento desejada. O sensor de velocidade do veículo 14 é configurado para detectar uma velocidade . do velculo V. A chave de freio 15 é configurada para ligar quando o veículo está sendo frea- do através do abaixamento um pedal de freio e desligar quando o veículo não está sendo 35 freado (pedai de freio é liberado). A chave de mudo 16 é configurada para ser manualmente pressionada a fim de parar um som emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1. A chave de aumento de volume de som 17 é configurada para ser pressionada a fim de au-
mentar o volume de um som emitido pelo alto-falante exterior de cabine 1. A chave de igni- ção 18 é configurada para colocar a unidade de potência em um estado de direção e emite um sinal ligado/desligado para o controlador de som de notificação 12 dependendo da posi- ção da chave de ignição 18. O sensor de distância de obstáculo 19 é configurado para de-
- 5 tectar uma distância L entre o veículo hospedeiro e um outro veículo ou outro obstáculo à frente do veículo. " Agora, a maneira em que o controlador de som de notificação 12 opera o aito- falante interior de cabine 11 nessa modalidade será explicada.
No caso em que a transmis- são é trocada para marcha ré (R), um sinal de seleção de faixa R será recebido pelo contro- lO lador de som de notificação 12 a partir do sensor de faixa 13. Em resposta ao recebimento do sinal de seleção de faixa R, o controlador de som de notificação 12 aciona o alto-falante interior de cabine 11 para emitir um "som de notificação de seleção de faixa R." O som de notificação de seleção de faixa R informa ao motorista que a faixa R foi selecionada.
Na
. modalidade iiustrada, o som de notificação de seleção de faixa R é um som intermitente.
No 15 caso em que uma distância do obstáculo L do veículo hospedeiro é menor que uma distân- · cia pré-definida, um sinal de detecção de obstáculo será recebido pelo controlador de som de notificação 12 a partir do sensor de distância de obstáculo 19. Em resposta ao recebi- mento do sinal de detecção de obstáculo, o controlador de som de notificação 12 aciona o alto-falante interior de cabine 11 para emitir um "som de notificação de proximidade de obs- 20 táculo" que usa, por exemplo, uma voz para informar ao motorista que o veículo está próxi- mo a um obstáculo.
Existem outros sons de notificação emitidos no interior da cabine do veículo para advertir um motorista, tal como um "som de notificação de cinto de segurança" (não mostra- do nas Figuras) emitido para advertir que um cinto de segurança não está travado.
Entretan- 25 to, o som de notificação de cinto de segurança não é emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11, mas a partir de um alto-falante ou cigarra dedicada separada que é diferente do alto-falante interior de cabine 11 que é usado pelo controlador de som de notificação 12 para notificação de que o veículo está próximo a um obstáculo.
Em outras palavras, na mo- dalidade ilustrada, o alto-falante interior de cabine 11 é um dispositivo de emissão de som 30 de notificação separado e distinto daqueles usados para outros sons de notificação emitidos no interior da cabine do veiculo.
O controle operacional do alto-falante exterior de cabine 1 executado pelo controla- dor de som de notificação 12 mostrado na Figura 1 será explicado agora.
Nessa modalida- de, os sons de notificação de movimento emitidos a partir do alto-falante exterior de cabine 1 35 incluem, mas não se limitam a, um som de notificação de movimento de início dianteiro S, um som de notificação de movimento dianteiro D e um som de notificação de movimento reverso R.
O som de notificação de movimento de inicio dianteiro S (também chamado de som "S") é emitido como uma notificação antes que o veículo comece a se mover para fren- te.
O som de notificação de movimento dianteiro D (também chamado de som "D") serve como um som de notificação de movimento que é emitido quando o veiculo está realmente se movendo para frente.
O som de notificação de movimento reverso R (também chamado
- 5 de som "R") que serve como um som de riotificação de movimento emitido quando o veiculo está se movendo realmente em reverso elou foi trocado para uma marcha reversa.
O som de notificação de movimento de inlcio dianteiro (som S) e o som de notificação de movimen- to dianteiro (som d) juntos constituem um som de notificação de avanço dianteiro que seNe para notificar sobre o movimento dianteiro do veiculo quando o veículo está na faixa D. 10 O som de notificação de movimento de início dianteiro S é um som macio similar a uma campainha eletrônica produzido por um telefone de software, o som de notificação de movimento dianteiro D é um pseudo som de mecanismo parece com um som de mecanismo gerado quando um veículo acionado por mecanismo se move, e o som de notificação de
. movimento reverso R é o mesmo som intermitente eu o som de notificação de seleção de 15 faixa R emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11 quando a faixa R é selecionada. " Conforme mencionado acima, o som de notificação de movimento dianteiro D é um pseudo som de mecanismo e é emitido por um período de tempo longo.
Consequentemente, poderia ser inconveniente ouvir o som de notificação de movimento dianteiro D continua- mente, e não é necessário que um motorista escute o som de notificação de movimento di- 20 anteiro D.
Adversamente, o som de notificação de movimento de início dianteiro S é um som macio como o de um telefone de software e é somente emitido por período de tempo curto imediatamente antes de o veículo começar a se mover para frente até que o veículo comece a se mover para frente.
Dessa forma, o som de riotificação de movimento de início dianteiro S não é inconveniente para um motorista e é de preferência ouvido pelo motorista de modo 25 que o motorista possa saber que uma notificação dianteira de início foi emitida.
Em vista desses requisitos, nessa modalidade, o som de notificação de movimento dianteiro D é con- figurado para ser um pseudo som de mecanismo conforme será explicado abaixo e o som de notificação de movimento de início dianteiro S é definido para um som macio como o emitido por um telefone de software conforme será explicado posteriormente. 30 A fim de considerar uma propriedade de isolamento de som de uma cabine do vel- culo, a Figura 7 mostra um exemplo de um interior da cabine propriedade de isolamento de som de dois veículos básicos A e B (com janelas fechadas) expressa como um gráfico de uma característica de transferência acústica (dB) versus uma frequência central oitava 113 (Hz). Basicamente, os veículos A e B possuem painéis de corpo de metal e/ou de plástico 35 com janelas de vidro, que são típicas da maioria dos veículos.
Embora os dois velculos se- jam levemente diferentes, ambos os veículos, tipicos da maioria dos veiculos, exibem cla- ramente uma tendência similar da propriedade de isoiamento de som aumentando com o m
9/35 aumento da frequência.
Em frequências de 1,5 KHZ e mais aitas, o vo|Un1e de um som D que penetra na cabine do veículo a partir do exterior pode ser suprimido para um nive! permie.sÍ- . vel.
Uma vez que o som de notificação de movimento dianteiro D é destinado a notificar
- 5 uma pessoa em uma área exterior circundante ao veícub que o veículo está em movimento dianteiro, também é necessário que o som de notificação de movimento dianteiro D seja prontamente audível e claramente ouvido por uma pessoa que escuta o som de notificação de movimento dianteiro D diretamente na área circuridante ao velculo.
Portanto, a fim de considerar uma sensibilidade de um ouvido humano, a Figura 8 10 mostra curvas de nivel de som alto iguais tipicamente usadas para discutir sensibilidade do ouvido.
Cada curva é uma caracteristica de frequência que compreende um gráfico de nlvel de pressão de som (nível de som alto igual) versus frequência (Hz) correspondente a um determinado volume percebido (som alto: fon). Ou seja, para cada um dos diversos volumes
. de som (20 fon, 40, fon, 60 fon, 80 fon e 100 fon na Figura 8), os níveis de pressão de som 15 (níveis de som alto iguais) d8 que são percebidos por terem, isto é, som como possuem, o
· mesrno volume são representados em gráfico para obter uma curva.
Conforme um nível de preqsão de som (nlvel de som alto igual) d8 se torna menor, o nlvel de pressão de som no qual o mesmo volume percebido (20 fon, 40 fon, 60 fon, 80 fon ou 100 fon) pode ser ouvido se torna menor, isto é, o que é mais fácil para uma pessoa escutar o som. 20 Os sons que possuem um nivel de pressão de som baixo (nível de som alto igual) d8 e podem ser facilmente ouvidos por um ouvido humano estão situados em uma faixa de frequências de 1,5 KHZ a 6 KHz indicada como uma região adequadamente audível na Figu- ra 8. Em outras palavras, a região adequadamente audivel corresponde a uma faixa de fre- quência em uma proximidade em que as curvas de nivel de som alto iguais correspondem a 25 um nlvel de pressão de som mínimo.
Essa faixa de frequência de 1,5 KHz a 6 KHz sobrepõe a faixa de frequência de 1,5 KHz e superiores mencionada anteriormente em relação à Figu- ra 7 como uma faixa de frequência em que um volume de um som D que penetra na cabine do veículo a partir do exterior do veículo pode ser suprimida para um nivel permissível.
Portanto, nessa modalidade, o som de notificação de movimento dianteiro D é um " 30 pseudo som de mecanismo em uma faixa de frequência (1,5 KHz a 6 KHz) que pode ser prontamente ouvido por uma pessoa em uma área exterior circundante ao veículo.
Como uma referência, a faixa de frequência de um som de mecanismo real é 200 a 400 Hz, que é consideravelmente inferior à faixa de frequência selecionada (1,5 KHz a 6 KHz) para o som de notificação de movimento dianteiro D.
Desse modo, os ocupantes do veículo (por exem- 35 pIo, o motorista e passageiros) são impedidos de escutar o som de notificação de movimen- to dianteiro D desnecessariamente no interior da cabine do veiculo.
Desse modo, os ocu- pantes do ve iculo (por exemplo, o motorista e os passageiros) são impedidos de serem per-
turbados pelo som de notificação de movimento dianteiro D (pseudo som de mecanismo). Nesse Ínterim, uma pessoa em uma área circundante ao veículo pode escutar prontamente o som de notificação de movimento dianteiro D (pseudo som de mecanismo) e ser assegu- rada de reconhecer que o veículo existe e está em movimento.
- 5 Adicionalmente, existem efeitos operacionais que podem ser obtidos se uma fre- quência de limite superior do som de notificação de movimento dianteiro D for definida em 6 KHz conforme explicado acima. Esses efeitos operacionais serão explicados agora. Confor- me uma pessoa envelhece, se torna mais difícil detectar sons com frequências superiores. Em particular, uma dificuldade de escutar sons com frequências maiores que 6 KHz aumenta 10 quadraticamente com o aumento da idade. Portanto, através da definição de uma frequência limítrofe superior do som de notificação de movimento dianteiro D para 6 KHz, a capacidade de uma pessoa mais velha em uma área circundante ao veículo escutar o som de notifica- ção de movimento dianteiro D pode ser assegurada, o que é vantajoso a partir de um ponto . de vista de segurança. 15 A faixa de frequência mencionada acima (1,5 KHz a 6 KHz) é um faixa de frequência · permissível para o som de notificação de movimento dianteiro D, mas não uma faixa de fre- quência ideal. Embora os sons na faixa de frequência de 1,5 KHZ a 6 KHZ não entrem pron- tamente na cabine do veículo a partir do exterior do veículo, uma faixa de frequência ideal para tornar o som de notificação de movimento dianteiro D prontamente audível para uma 20 pessoa em uma área circundante ao veiculo é.a faixa de frequência 2 KHz a 4 KHZ conforme indicado na Figura 8. A fàixa de frequência 2 KHZ a 4 KHZ é uma faixa de frequência audivel de mais preferência considerando que uma sensibilidade do ouvido humano é mais nessa faixa de frequência devido à ressonância do canal do ouvido externo. Dessa forma, deve ficar claro que é preferencial que a frequência do som de notificação de movimento dianteiro 25 D esteja nessa faixa de frequência ideal de 2 KHz a 4 KHz. Em vista das propriedades de propagação de som entre o interior e o exterior da cabine do veículo, um veículo é tipicamente construído de tal modo que soe comparativa- mente com frequências altas (tipicamente 1,5 KHz a 6 KHZ, embora varie dependendo do veículo) que não penetram facilmente no interior da cabine a partir do exterior da cabine. " 30 Entretanto, um veículo é tipicamente construido de tal modo que soe comparativamente com frequências baixas (tipicamente abaixo de 1,5 KHz, embora varie dependendo do veículo) penetrem facilmente no interior da cabine a partir do exterior da cabine. Portanto, nessa mo- dalidade, o som de notificação de movimento dianteiro D é configurado para ser um pseudo som de mecanismo em uma faixa prescrita frequências comparativamente altas (de prefe- 35 rência 2 KHz a 4 KHz) que não entram facilmente no interior da cabine a partir do exterior da cabine. Desse modo, o som de notificação de movimento dianteiro D não é escutado desne- cessariamente por um motorista no interior da cabine do velculo. Como resultado, o som de
' esteja em um estado de não direção, então, o controlador de som de notificação 12 termina a sequência de controle e pula para a etapa S15 de tal modo que o som de notificação de movimento de inicio dianteiro S não é emitido. Dessa forma, na etapa S11, o controlador de som de notificação 12 determina que o veículo está parado, mas em um estado de direção " 5 através da verificação de que a velocidade do veículo está abaixo de um valor prescrito e que o estado da chave de ignição 18 está ligado. Nessa modalidade ilustrada, a etapa S11 do processo executado pelo controlador de som de notificação 12 corresponde a uma seção ou dispositivo de detecção de estado de movimento. Se o controlador de som de notificação 12 determina que o veículo está parado (is- lO to é, V < Vs) e que o veículo está em um estado de direção (chave de ignição 18 é ligada) na etapa S11, então, o controlador de som de notificação 12 prossegue para a etapa S12. Na etapa S12, o controlador de som de notificação 12 determina se uma operação que mu- da a faixa para a faixa D (trocada para a posição dirigir (D)) ocorreu enquanto a chave de
W freio 15 estava em um estado desligado (isto é, o freio não estava sendo operado). Se o 15 resultado da etapa S12 é Sim, então, o controlador de som de notificação 12 prossegue pa- w ra a etapa S15. Na etapa S15, o controlador de som de notificação 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que um som macio pareça com uma campainha eletrônica de um telefone de software. Se o resultado da etapa S12 é Não, então, o controlador de som de notificação 12 20 prossegue para a etapa S13. Na etapa S13, o controlador de som de notificação 12 deter- mina se a chave de freio 15 mudou de ligada para desligada (isto é, se o pedal de freio mu- do de um estado de frenagem abaixado para um estado de não frenagem liberado) enquan- to a faixa D estava em um estado selecionado. Se o resultado da etapa S 13 é Sim, então, o controlador de som de notificação 12 prossegue para a etapa S15. Na etapa S15, o contro- 25 lador de som de notificação 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que um som macio S que parece com uma campainha eletrônica de um telefone de software é emi- tido. Nessa modalidade ilustrada, a etapa S13 do processo executado pelo controlador de som de notificação 12 corresponde a uma seção ou dispositivo de detecção de intenção de movimento de início. . 30 Se o resultado da etapa S13 é Não, então, o controlador de som de notificação 12 prossegue para a etapa S14 e determina se uma mudança para a faixa D ocorreu simulta- neamente ou substancial e simultaneamente com a chave de freio 15 mudada de Iigada pa- ra desligada (isto é, se o pedal de freio mudou de um estado de frenagem abaixado para um estado de não frenagem liberado). Se o resultado da etapa S14 é Sim, então, o controlador 35 de som de notificação 12 prossegue para a etapa S15 e aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que um som macio S que parece com uma campainha eletrônica de um telefone de software é emitido.
W Nas etapas S13 e S14, se o pedal de freio estiver sendo retornado vagarosamente de um estado abaixado e o pé do motorista ainda não se separou do pedal de freio, então, a chave de freio 15 ainda estará ligada e ainda não mudou para desligada. Consequentemen- te, o controlador de som de notificação 12 não irá prosseguir para a etapa S 15 e o som de - 5 notificação de movimento de início dianteiro S não pode ser emitido. Se o motorista estiver pensando erroneamente que o som de notificação de movi- . mento de início dianteiro S foi emitido enquanto o motorista estava retomando vagarosa- mente (gradualmente) o pedal de freio, então, o motorista pode iniciar a direção enquanto acredita que qualquer pessoa em uma área circundante do veículo foi avisada pelo som de 10 notificação de movimento de início dianteiro S que o veículo estaria iniciando o movimento.
lsso seria indesejável a partir de uma perspectiva de segurança. Adicionalmente, enquanto o pedal de freio está sendo submetido a uma operação lenta de retorno de pedal de freio, existe uma possibilidade de que a força de frenagem decline e o veículo começará a se mo- "V ver devido, por exemplo, a uma força de arrasto ou uma inclinação descendente de uma 15 superfície da rodovia. Dessa forma, é necessário cuidado para assegurar segurança.
· Entretanto, nessa modalidade, conforme mencionado anteriormente, o som de noti- ficação de movimento de inicio dianteiro S é um som de notificação em uma faixa de fre- quência comparativamente baixa que penetra faciímente no interior da cabine do velculo a partir do exterior do velculo e pode ser prontamente ouvido pelo motorista. Dessa forma, 20 uma vez que o motorista pode reconhecer facilmente quando a notificação de início de mo- vimento dianteiro foi emitida, o motorista também pode reconhecer facilmente que o som de notificação de movimento de início dianteiro S não foi emitido durante uma operação lenta de retomo de pedal de freio. Como resultado, com essa modalidade, o motorista não irá acreditar erroneamente que o som de notificação de movimento de início dianteiro S foi emi- 25 tido durante uma operação lenta de retorno de pedal de freio. Em outras palavras, o motoris- ta irá considerar que uma pessoa próxima ao veícuio não ouviu o som de notificação de mo- vimento de início dianteiro S e não está atenta ao fato de que o veículo irá começar a se . mover se o motorista não tiver ouvido o som de notificação de movimento de inlcio dianteiro S. Dessa forma, o motorista pode tentar dirigir seguramente e uma grande vantagem em . 30 termos de direção segura pode ser alcançada. Se o resultado da etapa S14 é Não, então, o controlador de som de notificação 12 termina o ciclo de controle e pula para a etapa S15 de tal modo que o som de notificação de movimento de inlcio dianteiro S não seja emitido.
Em suma, o controlador de som de notificação 12 aciona o alto-falante exterior de 35 cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento de início dianteiro S seja emi- tido quando qualquer uma das seguintes condições ocorre enquanto o veículo é parado (V < Vs) e em um estado de direção (chave de ignição 18 é ligada) (etapa s11): (1) uma opera-
ção que muda a faixa para a faixa D ocorre enquanto o pedal de freio está em um estado de não frenagem liberado (etapa S12); (2) o pedal de freio muda de um estado de frenagem abaixado para um estado de não frenagem liberado enquanto a faixa D está em um estado selecionado (etapa S13); ou (3) uma operação que muda a faixa para a faixa D ocorre simul- - 5 taneamente com o pedal de freio mudando de um estado de frenagem abaixado para um estado de não frenagem Iiberado (etapa S14). De outro modo, o alto-falante exterior de ca- bine 1 permanece em um estado não acionado e o som de notificação de movimento de início dianteiro S não é emitido. Nessa modalidade, o som de notificação de movimento de início dianteiro S é emi- lO tido imediatamente antes de o veículo começar a se mover quando o velculo está parado em um estado de direção (etapa S11) e uma operação de troca que muda a faixa para a faixa D ocorre enquanto o pedal de freio está em um estado liberado (não frenagem) (etapa S12), um pé que abaixa o pedal de freio libera o pedal de freio enquanto a faixa D está em
P um estado selecionado (etapa S13), ou uma operação de troca que muda a faixa para a 15 faixa D ocorre simultaneamente com uma operação de liberação de freio em que um pé que . abaixa o pedal de freio é liberado do pedal de freio (etapa S14). Em outras palavras, nessas situações, o som de notificação de movimento de início dianteiro S é emitido imediatamente pelo alto-falante exterior de cabine 1 antes de o veículo começar a se mover (etapa S15)- Se o aparelho estiver configurado para emitir o som de notificação de movimento de 20 início dianteiro S quando o velculo entra em um estado de direção devido à chave de igni- ção 18 estar ligada, então, o som de notificação de movimento de início dianteiro S seria emitido muito rápido e o som de notificação de movimento de início dianteiro S seria emitido desnecessariamente durante um período de quando o veiculo entrou no estado de direção até imediatamente antes de o velculo começar a se mover. Consequentemente, o som de 25 notificação de movimento de início dianteiro S seria emitido por um tempo longo até que o veículo tenha começado a se mover e incomodaria as pessoas (por exemplo, pedestres) em uma área circundante ao veículo. Adversamente, se o som de notificação de movimento de início dianteiro S for emitido após o veiculo começar a se mover, então, o som de notificação de movimento de início dianteiro S não irá servir para seu propósito de notificação que o . 30 veículo irá começar a se mover e o significado do som de notificação será diminuldo. Com essa modalidade, entretanto, uma vez que o som de notificação de movimento de início dianteiro S é emitido imediatamente antes de o veículo começar a se mover, tal problema com o som de notificação de movimento de inlcio dianteiro S sendo emitido por um tempo longo antes de o veículo começar a se mover e confundir as pessoas (por exem- 35 pIo, pedestres) em uma área circundante ou o significado da notificação fornecida pelo som de notificação de movimento de início dianteiro S que é diminuído pode ser evitado. A fim de controlar o som de notificação de movimento dianteiro D, o controlador de som de notificação 12 da Figura 1 executa o programa de controle mostrado na Figura 3. Na etapa S21, o controlador de som de notificação 12 verifica se o som de notificação de movi- mento de início dianteiro S está sendo emitido pela atuação do alto-falante exterior de cabi- ne 1. Se o som de notificação de movimento de inicio dianteiro S estiver sendo emitido, en- - 5 tão, o controlador 12 prossegue para a etapa S22. Na etapa S22, o controlador de som de notificação 12 verifica se uma quantidade de tempo prescrita decorreu uma vez que o som de notificação de movimento de inlcio dianteiro S começou a ser emitido (por exemplo, 500 ms). O controlador 12 termina o ciclo de controle e continua a emitir o som de notificação de movimento de início dianteiro S iniciado na etapa S15 da Figura 2 até que a quantidade de 10 tempo prescrita (500 ms) tenha decorrido. Alternativamente, na etapa S22, a quantidade de tempo prescrita é uma quantidade de tempo variável que corresponde a um período de quando um motorista seleciona a faixa D e libera o pedal de freio (etapas S12 a S14 da Fi- gura 2), isto é, quando o som S começa a ser emitido (etapa S15 da Figura 2) em resposta à
W conclusão de uma operação de preparação de inicio de movimento, até que o motorista 15 execute uma operação de inicio de movimento. Dessa forma, a quantidade de tempo pres- . crita pode ser definida para qualquer valor com base na medição de dados ou similares, e não é limitada a um perlodo de tempo fixo. Quando o controlador de som de notificação 12 determina na etapa S22 que a quantidade de tempo prescrita (500 ms) decorreu uma vez que a emissão do som de notifi- 20 cação de movimento de início dianteiro S iniciou, isto é, após o som de notificação de movi- mento de início dianteiro S ter sido emitido continuamente pela quantidade de tempo prescri- ta, o controlador 12 prossegue para a etapa S23. Na etapa S23, o controlador de som de notificação 12 executa uma técnica de mistura de som (cross fade) a partir do som de notifi- cação de movimento de início dianteiro S para o som de notificação de movimento dianteiro 25 D. A técnica de mistura de som do som de notificação de movimento de início dianteiro S para o som de notificação de movimento dianteiro D envolve diminuir gradualmente um nívei de pressão de som do som de notificação de movimento de início dianteiro S enquanto au- menta gradualmente um nível de pressão de som do som de notificação de movimento dian- teiro D (pseudo som de mecanismo) de tal modo que o estado operacional do alto-falante 30 exterior de cabine 1 mude gradualmente do som de notificação de movimento de início dian- teiro S para o som de notificação de movimento dianteiro D. Como resultado, a mudança do som de notificação de movimento de início dianteiro S para o som de notificação de movi- mento dianteíro D pode ser realizada sem fazer com que uma pessoa (por exempio, um pe- destre) em uma área circundante experimente uma sensação estranha sobre os sons do 35 veiculo. Nessa modalidade, uma vez que o som de notificação de movimento de início dian- teiro S é emitido imediatamente antes de o veículo começar a se mover conforme descrito anteriormente em referência à Figura 2 (etapas S12 a S15 na Figura 2), o som de notifica- ção de movimento de inicio dianteiro S é emitido em um tempo apropriado para notificação de que o veículo irá começar a se mover. Conforme explicado acima, o som de notificação de movimento dianteiro D também é emitido em um tempo apropriado que segue o som de - 5 notificação de movimento de início dianteiro S. Como resultado, uma situação em que o som de notificação de movimento dianteiro D é emitido longo antes de o veiculo começar a se mover pode ser evitada. Desse modo, o som de notificação de movimento não irá fazer com que pessoas (por exemplo, pedestres) em uma área circundante fiquem perplexas e o signi- ficado da notificação de movimento dianteiro fornecida pelo som de notificação de movimen- lO to dianteiro D seja dírrúnuído. Se o controlador 12 determina na etapa S21 que o som de notificação de movimen- to de início dianteiro S não está sendo emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1, c) controlador 12 prossegue para a etapa S24 em que o controlador 12 verifica se a chave de
W ignição 18 é Iigada, isto é, se o veículo está em um estado de direção. Se o controlador 12 15 determina que o veículo está em um estado de direção, então, o controlador 12 prossegue para a etapa S25. Na etapa S25, o controlador 12 verifica se Dirigir ou faixa D está em um estado selecionado (isto é, se a faixa D foi selecionada). Se a faixa D foi selecionada, então, o controlador 12 prossegue para a etapa S26. Na etapa S26, o controlador 12 determina se a velocidade do veiculo V é igual ou maior que a velocidade do veiculo de determinação de 20 parada Vs, isto é, se o veículo está em movimento. Se o controlador 12 determina que o velculo está em um estado de direção na etapa S24, que a faixa D é selecionada na etapa S25, e que o veículo está em movirnento (V > Vs) na etapa S26, então, o controlador 12 prossegue para a etapa S27. Na etapa S27, o controlador 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento dianteiro D (pseudo som de 25 mecanismo) é emitido. O som de notificação de movimento dianteiro D é um pseudo som de mecanismo, conforme explicado anteriormente. O nível de volume de som do som de notificação de mo- vimento dianteiro D é mantido constante. Nesse Ínterim, uma frequência do som de notifica- ção de movimento dianteiro D é definida para aumentar conforme a velocidade do veículo 30 aumenta enquanto permanece dentro de uma faixa de frequência comparativamente alta em que o som de notificação de movimento dianteiro D não pode facilmente penetrar no interior da cabine a partir do exterior da cabine. A Figura 9 é mapa de definição de característica de frequência para o som de notificação de movimento dianteiro. A frequência do som de notifi- cação de movimento dianteiro D é definida com base em uma velocidade do veículo detec- 35 tada. Dessa forma, na primeira modalidade, o sensor de velocidade 14 corresponde a um dispositivo ou seção de definição de frequência. Na primeira modalidade, a frequência é definida para ter uma relação linear em relação à velocidade do veículo, mas também é aceitável definir a frequência para ser uma curva côncava ou convexa ascendente na manei- ra de uma função exponencial.
O nivei de volurne de som não é mudado, mas definido para um valor constante prescrito (corresponde a uma seção ou dispositivo de configuração de volume de som); somente a frequência é mudada.
Quando o som de notificação de movi-
" 5 mento dianteiro D é produzido desse modo como um pseudo som de mecanismo cujo nlvel de pressão de som permanece constante e cuja frequência aumenta conforme a velocidade do veículo aumenta, uma pessoa no exterior do veÍculo pode julgar uma distância para o veículo com base no voIume do som de notificação de movimento dianteiro D.
Em particular, conforme o voIume do som de notificação de movimento dianteiro D se torna maior, a pes- lO soa pode determinar se o veículo está se aproximando.
Uma vez que o volume do som emi- tido do veículo é constante, a pressão de som percebida por uma pessoa no exterior do veí- culo difere de acordo com a distância.
Portanto, uma pessoa no exterior do veículo pode julgar a distância entre ela e o veículo com base em uma diferença em pressão de som. 0 Ademais, a pessoa pode julgar uma velocidade do veículo com base no intervalo do som de 15 notificação de movimento dianteiro D.
Quanto maior o intervalo do som de notificação de
· movimento dianteiro D é, maior a velocidade do veículo.
Dessa forma, com base somente no som de notificação de movimento dianteiro D, a pessoa pode saber aproximadamente quão próximo o veículo está e quão rápido está se aproximando.
Na etapa S28, o controlador 12 determina se a velocidade do veículo V alcançou ou 20 excedeu uma velocidade prescrita do velculo (30 kmlh), uma vez que o movimento come- çou.
Essa velocidade prescrita do veiculo (30 km/h) corresponde a uma velocidade mínima prescrita do veiculo valor na qual o som de notificação de movirnento dianteiro D não é mais necessário.
Essa velocidade prescrita do veículo (30 km/h) também é chamada de velocida- de de diminuição gradual de som D.
Dessa forma, quando o veículo alcança a velocidade de 25 diminuição gradual de som D, o controlador 12 começa a diminuir gradualmente o som de notificação de movimento dianteiro D.
Se o resultado da etapa S28 é Não, então, o controla- dor 12 prossegue para a etapa S29 e determina se a velocidade do veículo V está abaixo de uma velocidade de aumento gradual de som prescrita D.
Nessa modalidade, a velocidade de aumento gradual de som prescrita D é definida como 25 km/h, que é inferior à velocidade 30 de diminuição gradual de som D de 30 km/h (velocidade mínima do veículo valor na qual o som de notificação de movimento dianteiro D não é necessário) por uma quantidade de his- terese (5 kmlh). Se o controlador 12 determina na etapa S28 que uma vez que veículo inici- ou o movimento, a velocidade do veículo V ter torna igual a ou maior que a velocidade de diminuição gradual de som D de 30 km/h, erttão, o controlador 12 prossegue para a etapa 35 S31. Na etapa S31, o controlador 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento dianteiro D emitido na etapa S27 gradualmente di- minua e desapareça (diminuição gradual).
Se o controlador 12 determina na etapa S29 que a velocidade do veículo V está baixo da velocidade de aumento gradual de som D de 25 km/h, então, o controlador 12 prossegue para a etapa S32. Na eta'pa S32, o controlador 12 verifica se o som de notifica- ção de movimento dianteiro D está sendo emitido. Se o som de notificação de movimento - 5 dianteiro D tiver parado devido à execução da etapa S31, então, o controlador 12 prossegue para a etapa S33 em que o controlador 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal . modo que o som de notificação de movimento dianteiro D aumente gradualmente a partir de um nível de pressão de som de 0 (de tal modo que o som de notificação de movimento dian- teiro D aumente gradualmente). Se o controlador 12 determina na etapa S32 que o som de 10 notificação de movimento dianteiro D está sendo emitido, então, o controlador 12 termina o ciclo de controle e continua a operar o alto-falante exterior de cabine de tal rnodo que o som de notificação de movimento dianteiro D seja emitido. Se o controlador 12 determina na etapa S29 que a velocidade do veículo V é igual a
P ou maior que a velocidade de aumento gradual de som D (25 km/h), isto é, se o controlador 15 12 determina que a velocidade do veículo V é em uma região de histerese entre a velocida- . de de diminuição gradual de som D 30 kmlh e a velocidade de aumento gradual de som D 25 km/h, então, o controlador 12 termina o ciclo de controle de tal modo que o estado ope- racional atual do alto-falante exterior de cabine 1 seja mantido e o som de notificação de movimento dianteiro D continue a ser emitido da maneira atual. 20 Se o controlador 12 determina na etapa S24 que a chave de ignição 18 está desli- gada, isto é, que o veiculo está em um estado de não direção, então, o som de notificação de movimento dianteiro D não é necessário e o controlador 12 prossegue para a etapa S31. Na etapa S31, o controlador 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento dianteiro D diminua gradualmente. 25 Se o controlador 12 determina na etapa S25 que a faixa D não é selecionada ou se o controlador 12 determina que a faixa D ainda está em um estado selecionado, mas deter- mina que o veiculo está parado na etapa S26, então, o som de notificação de movimento dianteiro D não é necessário e o controlador 12 precisa acionar o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento dianteiro D diminua gradual- 30 mente. Entretanto, nesse caso, o controle de som de notificação de movimento dianteiro D é manipulado de uma maneira especial que será explicada agora. Na etapa S34, o controlador 12 determina se a velocidade do veiculo V foi zero (V = 0 km/h) continuamente por uma quantidade de tempo prescrita (10 segundos nessa modali- dade). Se o resultado da determinação for Sim na etapa S34, então, o controlador 12 pros- 35 segue para a etapa S31 e aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento dianteiro D diminua gradualmente. A quantidade de tempo prescrita definida na etapa S34 é de preferência a quantidade de tempo para determinar se o veiculo está esperando em um sinal de tráfego ou percorrendo em uma rodovia congesti- onada. É aceitável variar a quantidade de tempo prescrita através da medição de um tempo de parada que ocorre em uma rodovia congestionada e definir a quantidade de tempo pres- crita automaticamente ou permitindo que um motorista defina a quantidade de tempo pres- - 5 crita manualmente em consideração a um tempo de parada que ocorre em uma rodovia congestionada. Alternativamente, a quantidade de tempo prescrita pode ser variavelmente " definida com base em informações fornecidas por um sistema de navegação veicular ou outras informações fornecidas para o veículo sobre a área em que o veicuio está percorren- do. 10 Se o controlador 12 determina na etapa S34 que o veículo não está parado, isto é, que a velocidade do veículo V não é igual a 0 km/h, ou que o velculo está em um estado parado, mas o estado parado não continuou por pelo menos a quantidade de tempo definida (10 segundos), então, q controlador 12 prossegue para a etapa S35. Na etapa S35, o con-
W trolador 12 determina se o veiculo é definido em estacionar (P), neutro (N) ou uma outra 15 faixa de não direção. Nessa modalidade ilustrada, a etapa S35 corresponde a uma seção ou . dispositivo de determinação de intenção de continuação de direção. Se o resultado da de- terminação for Sim na etapa S35, então, o controlador 12 prossegue para a etapa S36. Na etapa S36, o controlador 12 determina se a velocidade do veículo V é menor que a veloci- dade do veículo de determinação de parada Vs, isto é, se o veículo pode ser considerado 20 substancialmente parado. Se o resultado da determinação é Sim na etapa S36, então, o controlador 12 prossegue para a etapa S31. Na etapa S31, o controlador 12 aciona o alto- falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento dianteiro D diminua gradualmente. Em outras palavras, mesmo se o controlador 12 tiver determinado na etapa S34 25 que o veículo não está em um estado parado com a velocidade do veiculo V igual a 0 km/h ou que o veículo está em um estado parado, mas não estava no estado parado continua- mente por pelo menos uma quantidade de tempo definida (10 segundos), o controlador 12 . ainda executa uma diminuição gradual do som de notificação de movimento dianteiro D (etapa S31) se a faixa selecionada for uma faixa de não direção (estacionar ou neutro) (eta- " 30 pa S35) e a velocidade do veículo V está abaixo da velocidade do veiculo de determinação de parada Vs (etapa S36). Entretanto, se a faixa selecionada for determinada como não sendo uma faixa de não direção (estacionar ou neutro) na etapa S35, ou se a faixa selecionada for determinada como sendo uma faixa de não direção (estacionar ou neutro) na etapa S35, mas a velocida- 35 de do veículo V for determinada como sendo igual a ou maior que a velocidade do veículo de determinação de parada Vs (isto é, o veículo é determinado como estando em movimen- to) na etapa S36, então, é necessário emitir o som de notificação de movimento dianteiro D.
Dessa forma, o controlador 12 prossegue para etapa S27 em que o controlador 12 continua a acionar o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movi- mento dianteiro D seja emitido. Quando a faixa é mudada da faixa D para uma faixa de não direção (estacionar ou - 5 neutro), existe uma possibilidade de que o veiculo ainda se mova devido à inércia. Dessa forma, o aparelho é configurado para continuar a emitir o som de notificação de movimento " dianteiro D a partir do alto-falante exterior de cabine 1 quando a faixa selecionada é deter- minada para ser uma faixa de não direção (estacionar ou neutro) na etapa S35, mas a velo- cidade do veículo V é determinada como sendo igual a ou maior que a velocidade do veículo 10 de determinação de parada Vs (isto é, o veículo é determinado como estando em movimen- tO) na etapa S36. Desse modo, uma pessoa que está na proximidade de uma porção de extremidade frontal do veículo quando o velculo se move devido à inércia em tal caso pode ser provocado a tomar cuidado pelo som de notificação de movimento.
W Nessa modalidade, quando o controlador 12 determina que a faixa D não está em 15 um estado selecionado na etapa S25 ou quando a faixa D ainda está em um estado selecio- . nado, mas o controlador 12 determina que o veículo está parado na etapa S26, o controla- dor não prossegue imediatamente para a etapa S31 e diminui gradualmente o som de notifi- cação de movimento dianteiro D. Em vez disso, o controlador 12 continua a emitir o som de notificação de movimento dianteiro D até que execute a etapa S34 e somente então, pros- 20 segue para a etapa S31. Na etapa S31, o controlador 12 diminui gradualmente o som de notificação de movimento dianteiro D se o controlador 12 determina que a velocidade do velculo V ficou igual a 0 kmlh, isto é, que o veiculo esteve em um estado parado, por uma quantidade de tempo definida (10 segundos). Dessa forma, quando o veículo está em uma rodovia congestionada ou em uma outra situação em que o velculo para mas a velocidade 25 do veículo V não permanece em 0 km/h (estado parado) pela quantidade de tempo definida (10 segundos), uma situação inconveniente pode ser evitada em que o som de notificação de movimento dianteiro D diminua gradualmente e então, novamente emitido de acordo com q o controle de som de notificação de movimento de início dianteiro S mostrado na Figura 2 (etapa S15) cada vez que o veículo para. A fim de alcançar esse objetivo ainda mais eficien- 30 temente, é aceitável variar a quantidade de tempo prescrita através da medição de um tem- po de parada que ocorre em uma rodovia congestionada e definir a quantidade de tempo prescrita automaticamente ou permitindo que um motorista defina a quantidade de tempo definida manualmente em consideração a um tempo de parada que ocorre em uma rodovia congestionada. 35 Nessa modalidade, o som de notificação de movimento de início dianteiro S é emi- tido na etapa S15 da Figura 2 quando o controlador 12 é determinado na etapa S13 ou na etapa S14 que o pedal de freio foi liberado e a chave de freio 15 foi mudada de Iigada para
© 21/35 0 .
desligada. Consequentemente, quando o pedal de freio está sendo liberado gradualmente de um estado abaixado, mas o pedal de freio ainda não foi liberado, o som de notificação de movimento de início dianteiro S não é emitido, isto é, a etapa S15 não é executada, até que a chave de freio 15 mude de ligada para desligada.
- 5 Durante uma operação lenta de retorno de pedal de freio, há uma possibilidade de que a força de frenagem decline e o veiculo comece a se mover devido, por exemplo, a uma força de arrasto ou uma inclinação descendente de uma superfície da rodovia. Portanto, é necessário advertir uma pessoa em uma proximidade do velculo se o veículo começar a se mover. Entretanto, uma vez que uma notificação de um veiculo que começa a se mover 10 dessa maneira ocorreria após o veículo ter começado a se mover, o som de notificação de movimento dianteiro D é mais apropriado que o som de notificação de movimento de início dianteiro S. Nessa modalidade, conforme mostrado na Figura 3, o controlador 12 prossegue da etapa S21 da Figura 3 para as etapas S24 a S26 durante uma situação em que o pedal de * 15 freio está sendo submetido a uma operação de retomo lento de tal modo que o som de noti- 7 ficação de movimento de início dianteiro S não seja emitido. Se o controlador 12 determina na etapa S26 que a velocidade do veículo V é igual a ou maior que a velocidade do veículo de determinação de parada Vs, isto é, que o veículo está em movimento, então, o controía- dor prossegue para a etapa S27 e emite o som de notificação de movimento dianteiro D. 20 Consequentemente, o som de notificação de movimento dianteiro D é emitido em vez do som de notificação de movimento de início dianteiro S quando o velculo começar a se mover enquanto o pedal de freio está sendo submetido a uma operação de retorno lento. Como resultado, quando o veiculo começa a se mover durante uma operação de retorno de frena- gem lenta conforme explicado acima, uma pessoa em uma área circundante pode ser avi- 25 sada de modo confiável com o som de notificação de movimento dianteiro D mais apropria- do em vez do som de notificação de movimento de início dianteiro S. A fim de controlar o som de notificação de movimento reverso R (som R), o contro- . lador de som de notificação 12 executa o programa de controle mostrado na Figura 4. Na etapa S41, o controlador 12 verifica se a chave de ignição 18 está Iigada, isto é, se o veiculo " 30 está em um estado de direção. Se o veículo está em um estado de direção, então, o contro- lador 12 prossegue para a etapa S42. Na etapa S42, o controlador 12 verifica se veículo foi colocado em reverso (isto é, se a faixa é definida como a faixa R). Se o veículo está em re- verso (faixa R), então, o controlador 12 prossegue para a etapa S43. Na etapa S43, o con- trolador 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação 35 de movimento reverso R é emitido. Dessa forma, o som de notificação de movimento rever- so R é emitido antes de o veículo começar reaimente a se mover. Dessa forma, quando a chave de ignição 18 é ligada, isto é, o veículo está em um estado de direção, (etapa S41) e o veiculo está em reverso, isto é, a faixa R (etapa S42), o som de notificação de movimento reverso R é emitido a partir do alto-falante exterior de ca- bine 1 imediatamente (etapa S43). Uma vez que o som de riotificação de movimento reverso R é emitido a partir do aito-falante exterior de cabine 1 imediatamente quando o veículo está 5 em reverso, isto é, a faixa R (etapas S42 e S43), um "som de notificação de seleção de faixa R" é emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11 simultaneamente enquanto o veícu- lo está em reverso (faixa R), conforme explicado anteriormente.
Conforme explicado anteriormente, uma vez que o som de notificação de movimen- to reverso R emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1 na etapa S43 serve para 10 conduzir o mesmo tipo de informações de veículo que o som de notificação de seleção de faixa R emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11, o som de notificação de movi- mento reverso R emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1, também, é configurado para ser um som intermitente.
O som de notificação de movimento reverso R (som intermi-
0 tente) é controlado para ser sincronizado com o som intermitente de notificação de seleção 15 de faixa R emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11. Dessa forma, nessa modali-
. dade, a etapa S43 constitui a seção de sincronização de som de notificação de interior- exterior de cabine.
Também é aceitável se, adversamente, o som de notificação de seleção de faixa R intermitente emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11 é sincronizado com o som 20 de notificação de movimento reverso R (som intermitente) emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1. De cada modo, o som de notificação de movimento reverso R (som intermitente) emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1 e o som de notificação de seleção de faixa R emitido simul'taneamente a partir do alto-falante interior de cabine 11 são sincroniza- 25 dos e o som R do alto-falante exterior de cabine 1 (que o motorista não precisa ouvir) é so- breposto ao som intermitente de notificação de seleção de faixa R a partir do alto-falante interior de cabine 11 de tal modo que o motorista não possa ouvi-lo.
Dessa forma, um pro- " blema de escuta do motorista e ser perturbado pelo som R desnecessário emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1 pode ser diminuído. " 30 Adicionalmente, uma vez que o som de notificação de movimento reverso R (som intermitente) é sincronizado com o som intermitente de notificação de seleção de faixa R, os períodos intermitentes quando nem o som de notificação de movimento reverso R (som in- termitente) do alto-falante exterior de cabine 1 nem o som intermitente de notificação de se- leção de faixa R do alto-falante interior de cabine 11 podem ser ouvidos, isto é, os períodos 35 quando o motorista pode facilmente escutar o som de notificação, são mais iongos.
Dessa forma, durante esses períodos calmos mais longos, tais outros sons de notificação como o som de notificação de proximidade de obstáculo e o som de notificação de cinto de segu-
- rança mencionados anteriormente podem ser ouvidos por um motorista. Desse modo, o mo- torista pode reconhecer os sons de notificação imediatamente e obter as informações cor- respondentes de modo confiável, o que é consideravelmente vantajoso a partir de um ponto de vista de segurança.
- 5 Se o controlador 12 determina na etapa S41 que a chave de ignição 18 está desli- gada, isto é, que o veiculo está em um estado de não direção, então, o veículo não pode se move em reverso e não é necessário emitir o som R. Portanto, o controlador 12 termina o ciclo de controle diretamente e pula para a etapa S43 de tal modo que o som R não seja / emitido (isto é, o alto-falante exterior de cabine 1 é colocado em um estado não acionado). 10 Se o controlador 12 determina na etapa S42 que a faixa R não é selecionada, en- tão, o controlador 12 prossegue para a etapa S44 e determina se a faixa de não direção (estacionar ou neutro) é selecionada. Se o controlador 12 determina que o velculo não é definido em uma faixa de não direção (estacionar ou neutro), isto é, que a faixa D é selecio- 0 nada, então, não é necessário emitir o som de notificação de movimento reverso R e c) con- 15 trolador 12 termina o ciclo de controle diretamente, pulando desse modo para a etapa S43 . de tal modo que o som de notificação de movimento reverso R não seja emitido (isto é, o alto-falante exterior de cabine 1 é coIocado em um estado não acionado). Se o controlador 12 determina na etapa S44 que o veiculo está definido em uma faixa de não direção (estacionar ou neutro), então, o controlador 12 prossegue para a etapa 20 S45 e verifica se a velocidade do veículo V é menor que a velocidade do veículo de deter- minação de parada Vs, isto é, se o veículo pode ser considerado substancialmente parado. Se o controlador 12 determina que o veículo está substancialmente parado, então, o contro- lador 12 prossegue para a etapa S46. Na etapa S46, o controlador 12 aciona o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento reverso R emitido 25 na etapa S43 diminua gradualmente até que desapareça (diminua gradualmente). Entretanto, se o controlador 12 determina que o veículo está em uma faixa de não direção (estacionar ou neutro) na etapa S44 mas que a velocidade do veículo V não é me- nor que a velocidade do veículo de determinação de parada Vs (isto é, o veículo não está substancialmente parado mas determinado como estando em movimento), então, o contro- " 30 lador 12 determina que o veículo está em movimento em reverso apesar de estar em uma faixa de não direção (estacionar ou neutro) e prossegue para etapa S47. Na etapa S47, o controlador 12 continua a acionar o alto-falante exterior de cabine 1 de tal modo que o som de notificação de movimento reverso R que começou a ser emitido na etapa S43 continue a ser emitido. Desse modo, em uma situação em que o veículo continua a se mover em rever- 35 so devido à inércia após a faixa ter sido mudada da faixa R para uma faixa de não direção (estacionar ou neutro), o som de notificação de movimento reverso R pode continuar a ser emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1. Desse modo, uma pessoa próxima a
P uma porção de extremidade traseira do veículo pode ser de modo confiável avisada que o veículo está em movimento para trás e ser provocado a tomar cuidado. Uma situação em que o som de notificação de movimento reverso R é emitido na etapa S47 pode ocorrer somente se o controlador 12 tiver determinado na etapa S42 que a - 5 faixa R não está em um estado selecionado. Em tal situação, conforme deve se tornar claro a partir da explicação anterior, o som de notificação de seleção de faixa R não é emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11 e, dessa forma, não é necessário sincronizar um som de notificação de seleção de faixa R emitido a partir do alto-falante interior de cabine 11 com o som R do alto-falante exterior de cabine 1 como é feito na etapa S43. 10 Conforme explicado anteriormente em referência às Figuras 2 e 3, o som de notifi- cação de movimento dianteiro D é emitido quando uma quantidade de tempo prescrita, por exemplo, 500 ms, decorreu (etapa S22 da Figura 3) uma vez que o som de notificação de movimento de inlcio dianteiro S começou a ser emitido (etapa S15 da Figura 2) em resposta
W à faixa D que é selecionada por um motorista a partir de um estado parado (etapa S11 da 15 Figura 2) e uma operação que é executada pelo motorista em preparação para iniciar o veí- . culo para movimento, por exemplo, a liberação do pedal de freio, (etapas S12 a S14 da Fi- gura 2). Adversamente, conforme explicado anteriormente em referência à Figura 4, o som de notificação de movimento reverso R é emitido imediatamente (etapa S43 da Figura 4) quando o motorista seleciona a faixa R (etapa S42 da Figura 4). A razão pela qual o som de 20 notificação de movimento reverso R é emitido imediatamente será explicada agora. Um veículo é destinado principalmente para condução para frente e a condução em reverso é mais dificil para um motorista que a condução para frente. Além disso, uma pes- soa (por exemplo, um pedestre) em uma área circundante de um velculo tende a considerar que um veiculo tipicamente se move em uma direção frontal e naturalmente tem cuidado em 25 relação ao movimento dianteiro de um veículo. Adversamente, uma pessoa não espera que um veículo se mova em reverso e tende a tomar menos cuidado na antecipação do movi- mento reverso. Em suma, o som de notificação de movimento reverso R é destinado como uma no- tificação de movimento reverso que indica o movimento em uma direção em que um moto- " 30 rista está menos acostumado e uma direção em que um a pessoa (por exemplo, um pedes- tre) em uma área circundante menos espera. Portanto, a partir de um ponto de vista de se- gurança, é preferencial que o som de notificação de movimento reverso R seja emitido tão cedo quanto possÍvel para fazer com que as pessoas em uma área circundante tomem cui- dado. Adversamente, o som de notificação de movimento dianteiro D é destinado como uma 35 notificação de movimento dianteiro que indica o movimento em uma direção em que um mo- torista está mais acostumado e uma direção um pessoa (por exemplo, a pedestre) em uma área circundante menos espera como uma direção natural para um veículo se mover. Além
P disso, conforme explicado anteriormente, o som de notificação de movimento dianteiro D é um pseudo som de mecanismo e é melhor para manter um tempo de emissão do som de notificação de movimento dianteiro D tão curto quanto possÍvel a fim de assegurar a quietu- de do veiculo.
Portanto, é preferencial que o som de notificação de movimento dianteiro D
- 5 seja emitido tão tarde quanto possÍvel.
Dessa forma, conforme mencionado acima, cada som de notificação (o som S, o som D e o som R) é emitido sob diferentes respectivas condições de veículo nessa modali- dade.
Em particular, nessa modalidade, o aparelho é configurado de tal modo que o som de notificação de movimento reverso R seja emitido imediatamente (etapa S43 da Figura 4) 10 quando um motorista executa uma operação que seleciona a faixa R (etapa S42 da Figura 4). Ademais, nessa modalidade, o aparelho é configurado de tal modo que o som de notifi- cação de movimento dianteiro D seja emitido após uma quantidade de tempo prescrita, por exemplo, 500 ms, ter decorrido (etapa S22 da Figura 3) uma vez que o som do tipo telefone de software do som de notificação de movimento de início dianteiro S que foi iniciado é emi- . 15 tido (etapa S 15 da Figura 2) em resposta à faixa D que é selecionada por um motorista a
. partir de um estado parado (etapa S11 da Figura 2) e uma operação que é executada pelo motorista em preparação para iniciar o veículo para movimento, por exemplo, a Iiberação do pedal de freio, (etapas S12 a S14 da Figura 2). Através da configuração do aparelho desse modo, os sons de notificação emitido para movimento dianteiro e para movimento reverso 20 podem ser emitidos em um tempo necessário e por um período de tempo necessário sem confundir uma pessoa (por exemplo, um pedestre) em uma área circundante através da emissão desnecessária sons de notificação.
Nessa modalidade, as etapas S12 a S15 da Figura 2 constituem uma seção de temporização de emissão de som de notificação.
Nessa modalidade, a etapa S43 da Figura 2 constitui uma seção de temporização de emissão de 25 som de notificação de reverso.
Existem situações em que um som de notificação (por exemplo, o som S, o som D e o som R) emitido a partir do aíto-falante exterior de cabine 1 como o som de notificação de movimento de início dianteiro S, o som de notificação de movimento dianteiro D, ou o som de notificação de movimento reverso R poderia ser um distúrbio inconveniente para tercei- " 30 ros, tal como tarde da noite ou em uma vizinhança residencial.
Em tal situação, um motorista pode emitir um comando de proibição de som de notificação através do pressionamento da chave de mudo 16 mostrado na Figura 1. A chave de mudo 16 é configurada para emitir um comando de proibição de som de notificação cada vez que é pressionado de tal modo que entre em um estado Iigado.
Quando não está sendo pressionada, reinicia automaticamente 35 em uma posição normal (posição desligada). Quando o controlador 12 recebe o comando de proibição de som de notificação da chave de mudo 16, o controlador 12 mostrado na Figura 1 executa um programa de controle
¶ 26/35 mostrado na Figura 5 e proíbe a emissão de sons de notificação (o som S, o som D e o som R) conforme será explicado abaixo. Na etapa S51, o controlador 12 verifica se a chave de mudo 16 foi ligada, isto é, se o comando de proibição de som de notificação foi emitido. Se a chave de mudo 16 não esti- . 5 ver ligada (se o comando de proibição de som de notificação não foi emitido), então, o con- trolador 12 termina o ciclo de controle e não executa uma proibição dos sons de notificação.
" Como resultado, os sons de notificação são emitidos conforme explicado anteriormente em referência às Figuras 2 a 4. Se o controlador 12 determina na etapa S51 que a chave de mudo 16 foi ligada 10 (que o comando de proibição de som de notificação foi emitido), então, o controlador 12 prossegue para a etapa S52. Na etapa S52, o controlador 12 proíbe a emissão de sons de notificação de tal modo que os sons de notificação (o som S, o som D e o som R) não sejam emitidos a partir do alto-falante exterior de cabine 1 independentemente do estado dos con- % troles mostrados nas Figuras 2 a 4. 15 A seguir, na etapa S53, o controlador 12 determina se a velocidade do veículo V é , igual a ou maior que 30 kmlh, que é uma velocidade mínima do velculo valor na qual o som de notificação de movimento dianteiro D não é necessário (velocidade de diminuição gradual de som D do veiculo) conforme explicado anteriormente em reiação à etapa S28 da Figura
3. Se o resultado dessa determinação é Não na etapa S53, então, o controlador 12 termina 20 o ciclo de controle e continua a proibição de emissão de som de notificação iniciada na eta- pa S52. Se o controlador 12 determina na etapa S53 que a velocidade do veículo V é igual a ou maior que a velocidade de diminuição gradual de som D (30 kmlh), então, o controlador 12 prossegue para a etapa S54. Na etapa S54, o controlador 12 cancela a proibição de emissão de som de notificação iniciada na etapa S52, permitindo assim que os sons de noti- 25 ficação (o som S, o som d e o som r) sejam emitidos a partir do alto-falante exterior de ca- bine 1 de acordo com os controles mostrados nas Figuras 2 a 4. Com o controle de proibição de som de notificação recém descrito, um motorista " pode proibir a emissão de sons de notificação (o som S, o som D e o som R) do alto-falante exterior de cabine 1 (etapa S52) independentemente do estado dos controles mostrados nas " 30 Figuras 2 a 4 através do pressionamento da chave de mudo 16 (etapa S51). Dessa forma, a emissão dos sons de notificação pode ser impedida em situações em que um som de notifi- cação emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1, isto é, o som de notificação de movimento de início dianteiro S, o som de notificação de movimento dianteiro D ou o som de notificação de movimento reverso R, poderia ser um distúrbio inconveniente para outras 35 pessoas (por exemplo, pedestres) em uma área circundante, tal como tarde da noite ou em uma vizinhança residencial. Entretanto, se a emissão de sons de notificação continuar a ser proibida após o mo-
torista pressionar a chave de mudo 16, então, os sons de notificação não serão emitidos mesmo após o veículo ter percorrido para uma área em que os sons de notificação não se- rão um incômodo e o aparelho não irá servir para seu propósito como um dispositivo de se- gurança. Portanto, nessa modalidade, se a velocidade do veiculo V alcançar ou exceder a . 5 velocidade de diminuição gradual de som D (30 km/h) (etapa S53), então, o controlador 12 determina que o velculo viajou para um lugar em que os sons de notificação não irão pertur- " bar ninguém e cancela a proibição de emissão de som de notificação (etapa S54). Desse modo, os sons de notificação (o som S, o som D e o som R) podem ser emitidos a partir do alto-falante exterior de cabine 1 de acordo com os controles mostrados nas Figuras 2 a 4. 10 Através do cancelamento da proibição desse modo, uma situação em que os sons de notificação não são emitidos mesmo após o veículo ter ido para um lugar em que os sons de notificação não irão perturbar ninguém é evitada e a notificação aparelho pode servir pa- ra seu propósito como um aparelho de segurança.
q Nessa modalidade, a velocidade do veiculo V que alcança ou excede a velocidade 15 de diminuição gradual de som D (30 kmlh) é usada como uma condição para cancelar a . proibição de som de notificação. Certos efeitos operacionais podem ser obtidos através do planejamento do aparelho para determinar que o velculo foi para um lugar em que qs sons de notificação não irão perturbar ninguém e canceiar a proibição de som de notificação quando aquela condição é satisfeita. Esses efeitos serão explicados agora. 20 Se a condição para cancelar a proibição de som de notificação é definida para uma velocidade do veículo V que é mais lenta que a velocidade de diminuição gradual de som de notificação de movimento dianteiro D do veículo (30 kmlh), então, será possÍvel que a proi- bição seja cancelada enquanto o veículo ainda está em um lugar em que os sons de notifi- cação poderiam incomodar outras pessoas em uma área circundante. Mais especificamente, 25 conforme explicado anteriormente, a região de velocidades baixas dos veículos abaixo de 30 km/h é a região em que o aparelho é configurado para emitir o som de notificação de movimento dianteiro D. Nesse Ínterim, é nessa mesma região de velocidade baixa do veícu- ° lo que um motorista pode pressionar a chave de mudo 16 (LIGAR) para proibir que os sons de notificação sejam um incômodo. Se a condição de cancelamento for uma velocidade do " 30 veículo nessa região de velocidade baixa do veículo, então, a proibição de som de notifica- ção pode ser cancelada imediatamente após um motorista liberar seu dedo da chave de mudo 16, permitindo dessa forma que um som de notificação incomode uma pessoa (por exemplo, um pedestre) em uma área circundante do veículo. Nessa modalidade, entretanto, a condição para cancelar a proibição de som de no- 35 tificação é que a velocidade do veículo V seja igual a ou maior que a velocidade de diminui- ção gradual de som D (30 km/h) e a proibição de som de notificação é cancelada quando essa condição é satisfeita. Consequentemente, quando um motorista liga a chave de mudo e
16 enquanto a velocidade do veículo V está abaixo da velocidade de diminuição gradual de som D (30 km/h) (isto é, enquanto a velocidade do veículo está em uma região de velocida- . de baixa do veículo em que o som de notificação de movimento dianteiro D é emitido), a proibição dos sons de notificação não é cancelada quando o dedo do motorista deixa a cha-
. 5 ve de mudo 16. Em vez disso, a proibição continua e o problema de um som de notificação que é emitido enquanto o veículo está indo para um lugar em que o som de notificação pode
" ser um incômodo para uma pessoa (por exemplo, um pedestre) em uma área circundante pode ser evitado.
Quando o veículo está percorrendo em uma área circundante a uma fábrica, uma 10 área de compras ou outro lugar com ruldos (por exemplo, um lugar em que um nível de ruí- do é alto), pode ser diflcil que uma pessoa (por exemplo, um pedestre) em uma área circun- dante escute o som de notificação de movimento de início dianteiro S, o som de notificação de movimento dianteiro D, o som de notificação de movimento reverso R ou outro som de notificação emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1 e diflcil que o propósito da %
15 notificação seja realizado se o som de notificação for emitido em um nível de pressão de b som padrão.
Em tal situação, um motorista pode emitir um comando de aumento de volume de som de notificação através do pressionamento de uma chave de aumento de volume de som 17 mostrada na Figura 1. A chave de aumento de volume de som 17 é configurada pa- ra emitir um comando de aumento de volume de som de notificação cada vez que é presSi- 20 onada de tal modo que entre em um estado Iigado.
Quando não é pressionada, isso auto- maticamente reinicia para uma posição normal (posição desligada). Conforme explicado anteriormente, o som de notificação de movimento dianteiro D é um som de notificação definido em tal frequência que é prontamente audivel para uma pessoa em uma área exterior circundante ao veículo.
Dessa forma, o som de notificação de 25 movimento dianteiro D pode ser geralmente ouvido mesmo em uma área de compras ou outro lugar com ruídos e não é obrigatório fornecer a capacidade de aumentar o volume do som de notificação de movimento dianteiro D.
Entretanto, essa modalidade é configurada ' para permitir que o voIume do som de notificação de movimento dianteiro D seja aumentado em antecipação de ambientes particularmente desagradável em que q som de notificação " 30 de movimento dianteiro D é difícil de escutar em vez de sua frequência altamente audível.
Quando o controlador 12 recebe o comando de aumento de volume de som de noti- ficação a partir da chave de aumento de volume de som 17, o controlador de som de notifi- cação 12 mostrado na Figura 1 executa um programa de controle mostrado na Figura 6 e aumenta o volume dos sons de notificação conforme será explicado abaixo.
Na etapa S61, o 35 controlador 12 verifica se a chave de aumento de volume de som 17 foi ligada, isto é, se o comando de aumento de volume de som de notificação foi emitido.
Se a chave de aumento de volume de som 17 não for Iigada (se o comando de aumento de volume de som de notifi-
\ 29/35 * cação não foi emitido), então, o controlador 12 termina o ciclo de controle e não executa um aumento de volume dos sons de notificação. Como resultado, os sons de notificação são . emitidos conforme explicado anteriormente em referência às Figuras 2 a 4 e o nível de pres- são de som dos sons de notificação permanece em um valor padrão.
. 5 Se o controlador 12 determina na etapa S61 que a chave de aumento de volume de som 17 é ligada (isto é, que o comando de aumento de volume de som de notificação foi - emitido), então, o controlador 12 prossegue para a etapa S62 e aumenta o volume dos sons de notificação de tal modo que um som de notificação (som S, som D, ou som R) emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1 de acordo com os controles expiicados nas Figuras 10 2 a 4 seja emitido em um nível de pressão de som superior ao valor padrão. Na etapa S63, o controlador 12 determina se uma quantidade de tempo prescrita (por exemplo, um minuto) decorreu uma vez que a chave de aumento de volume de som 17 ' foi iigada (isto é, uma vez que o comando de aumento de volume de som de notificação foi emitido). Se o resultado da determinação é Não, isto é, se a quantidade de tempo prescrita
G 15 ainda não decorreu uma vez cjue a chave de aumento de volume de som 17 foi ligada (isto
P é, uma vez que o comando de aumento de volume de som de notificação foi emitido), então, o controlador 12 termina o ciclo de controle e continua a executar o som de notificação au- mento de volume iniciado na etapa S62. Quando o controlador 12 determina na etapa S63 que a quantidade de tempo prescrita decorreu uma vez que a chave de aumento de volume 20 de som 17 foi ligada (isto é, uma vez que o comando de aumento de volume de som de noti- ficação foi emitido), o controlador 12 prossegue para etapa S64 e cancela o som de notifica- ção aumento de volume executado na etapa S62, abaixando assim o nível de pressão de som dos sons de notificação (o som S, o som D e o som R) emitidos a partir do alto-falante exterior de cabine 1 de acordo com os controles mostrados nas Figuras 2 a 4 de volta para o 25 valor padrão. Com o controle de aumento de volume de som de notificação descrito acima, quan- do o veiculo está percorrendo em uma área circundante de uma fábrica, uma área de com- ' pras, ou outro lugar com ruidos em que pode ser difícil que uma pessoa em uma área cir- cundante escute um som de notificação emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1, " 30 um motorista pode aumentar um volume dos sons de notificação através do pressionamento da chave de aumento de volume de som 17 (etapa S61) de tal modo que o controlador au- mente um nível de pressão de som (etapa S62) dos sons de notificação (o som S, o som D e o som R) emitidos a partir do alto-falante exterior de cabine 1 de acordo com os controles mostrados nas Figuras 2 a 4. Desse modo, uma pessoa em uma área circundante é permiti- 35 da a ouvir um som de notificação emitido a partir do alto-falante exterior de cabine 1 mesmo em uma área circundante a uma fábrica, uma área de compras ou outro lugar com ruídos. Se o estado de volume aumentado dos sons de notificação continuar após a chave
J 30/35 ' de aumento de volume de som 17 ser pressionada por uma motorista, então, os sons de notificação não seriam muito altos quando o veículo percorreu para uma área residencial ou outro lugar com menos ruídos (isto é, um lugar com um nível de ruldo baixo) e se torna um incômodo para pessoas em uma área circundante. Em particular, nessa modalidade, o som
J . 5 de notificacão de movimento dianteiro D é um pseudo som de mecanismo em uma faixa de frequência comparativamente alta que não entre prontamente no interior da cabine a partir do exterior da cabine. Uma vez que o som de notificação de movimento dianteiro D é diflcil para um motorista no interior da cabine escutar, é fácil para o motorista esquecer de retornar (abaixar) o nlvel de volume. Portanto, essa modalidade é configurada para cancelar o au- lO mento de volume dos sons de notificação (etapa S64) quando uma quantidade de tempo prescrita decorreu (etapa S63) uma vez que a chave de aumento de volume de som 17 foi ligada (isto é, uma vez que o comando de aumento de voIume de som de notificação foi emi- tido), abaixando assim o nível de pressão de som dos sons de notificação (o som S, o som D e o som R) emitidos a partir do alto-falante exterior de cabine 1 de acordo com os contro- . 15 Ies mostrados nas Figuras 2 a 4 de volta para um nivel padrão. P Dessa forma, considera-se que pelo tempo em que a quantidade de tempo prescrita decorreu uma vez que a chave de aumento de volume de som 17 foi ligada, o veículo terá percorrido para uma área de subúrbio mais vazia, área residencial ou outro lugar mais cal- mo. Através da diminuição dos sons de notificação (o som S, o som D e o som R) emitidos a 20 partir do alto-falante exterior de cabine 1 de volta para o nlvel de pressão de som padrão, o volume aumentado dos sons de notificação resultantes quando a chave de aumento de vo- lume de som 17 é ligada pode ser impedido de incomodar pessoas próximas ao veiculo quando o veiculo está em um lugar mais calmo. Os efeitos operacionais de um aparelho de emissão de som de notificação de acor- 25 do com essa modalidade serão explicados agora. Se o velculo for um velculo acionado por mecanismo que usa somente um meca- nismo como uma fonte de alimentação, então, quando o veículo é parado, mas em um esta- do de direção (isto é, em um estado em que o som de notificação de movimento de inlcio dianteiro S seria emitido), um pedestre próximo ao veicuio pode reconhecer que o veículo " 30 pode possiveimente iniciar o movimento com base no som de marcha lenta do mecanismo. Entretanto, se o veículo for um carro elétrico ou em um modo de viagem em que somente um motor elétrico é usado como uma fonte de alimentação, então, um som operacional do veiculo é silencioso e é difícil para um pedestre reconhecer que o veiculo poderia possivel- mente iniciar o movimento a partir de um estado parado. Portanto, quando o veiculo está 35 parado, é necessário informar os pedestres que o veiculo pode começar a se mover. Portanto, na modalidade ilustrada, o aparelho de emissão de som de notificação de veículo é configurado de tal modo que uma frequência de um som de notificação de movi-
' mento dianteiro D emitido para um exterior do veiculo seja definida para uma frequência na faixa de 1,5 KHz a 6 KHz, que corresponde a uma frequência em uma proximidade em que as curvas de nível de som alto iguais mostradas na Figura 8 indicam um nível de pressão de som mínimo e frequências em uma proximidade em que uma propriedade de isolamento de
, 5 som de um interior da cabine possa efetivamente suprimir a penetração da notificação de movimento em um nível perniissÍvel.
Como resultado, uma pessoa em uma área exterior
· circundante ao veiculo pode escutar o som de notificação de movimento dianteiro D, mas o som de notificação de movimento dianteiro D não penetra facilmente no interior da cabine a partir do exterior do veiculo. 10 Dessa forma, com essa modalidade, a pessoa em uma área exterior circundante ao veiculo pode escutar o som de notificação de movimento dianteiro D de uma maneira confi- ável sem usar um meio de aumento de volume de som ou outra medida especial como aquela mencionada na publicação de patente japonesa aberta à inspeção pública n° 2002- 233001, e uma situação em que um som de notificação desnecessário de movimento dian- . 15 teiro D penetra no interior da cabine e se torna desagradável para um motorista e/ou passa-
. geiro pode ser impedida.
Em suma, todos os problemas descritos anteriormente são soIuci- onados.
Uma frequência de Iimite superior do som de notificação de movimento dianteiro D é definida para 6 KHz, que corresponde a uma frequência limite além da qual é diflcil para 20 uma pessoa mais velha escutar.
Como resultado, uma pessoa mais velha cuja sensibilidade de audição declinou pode escutar prontamente o som de notificação de movimento dianteiro D, o que é vantajoso a partir de um ponto de vista de segurança.
Dentro da faixa de frequência de 1,5 KHz a 6 KHz, a faixa de frequência de 2 KHz a 4 KHz (indicada como uma faixa de frequência audivel ideal na Figura 8) é uma faixa em que 25 uma sensibilidade do ouvido humano é mais alta devido à ressonância do canal auditivo externo.
Dessa forma, através da definição da frequência do som de notificação de movi- mento dianteiro D para uma frequência na faixa anterior, os efeitos operacionais explicados anteriormente (isto é, o efeito de permitir que uma pessoa em uma área circundante ao veí- culo escute o som de notificação de movimento dianteiro D de uma maneira confiável e o " 30 efeito de impedir que o som de notificação dianteiro (som D) penetre desnecessariamente no interior da cabine e se torne desagradável para um motorista e/ou passageiro) pode ser obtido de uma maneira ainda mais notável.
Na modalidade ilustrada, um volume de um som de notificação é mantido constante enquanto sua frequência é variada de acordo com uma velocidade do veículo.
Em outras 35 palavras, o aparelho de emissão de som de notificação inclui uma seção de definição de volume de som e uma seção de definição de frequência.
A seção de definição de volume de som é configurada para definir um volume do som de notificação em um valor prescrito.
A
' seção de definição de frequência é configurada para definir uma frequência do som de noti- ficação de tal modo que quanto maior uma velocidade do veÍculo se torne, maior a frequên- cia se torna. Uma vez que o volume do som é fixo, uma pessoa em uma área circundante do veículo pode captar uma pressão de som que varia de acordo com a distância. Ou seja, uma - 5 vez que o volume da fonte de som é constante, uma pressão de som que alcança os ouvi- dos de um pedestre se atenua de acordo com a distância entre o pedestre e a fonte de som.
- Consequentemente, a pressão de som é menor quando a distância é maior e maior quando a distância é menor. Em outras palavras, as informações a respeito de uma distância entre um veículo e uma pessoa em uma área circundante do veículo podem ser conduzidas a par- lO tir do velculo para a pessoa. Adicionalmente, uma vez que a frequência do som se altera de acordo com a velocidade do veículo, um pedestre em uma área circundante do veículo pode captar uma diferença de intervalo do som que varia de acordo com a velocidade do velculo. Em outras palavras, as informações relacionadas à velocidade do veiculo podem ser condu- zidas a partir do velculo para a pessoa. Portanto, uma pessoa em uma área circundante ao 0 15 veículo pode obter uma ideia da distância entre a mesma e o veículo e a velocidade do vel- g culo com base na pressão de som e no intervalo do som que a pessoa capta. Na modalidade ilustrada, o controlador 12 são fornecidas uma seção de detecção de intenção de movimento de inicio do motorista e uma seção de detecção de estado de movimento do velculo. A seção de detecção de intenção de movimento de início é configu- 20 rada para detectar se um motorista pretende iniciar um movimento do veículo. A seção de detecção de estado de movimento do veiculo é configurada para detectar se o veículo está em movimento ou não. Quando a seção de detecção de intenção de movimento de início do motorista detecta uma intenção de iniciar o movimento do velculo e a seção de detecção de estado de movimento do veÍculo não detectou que o veículo está em movimento, o controla- 25 dor 12 emite um som de notificação de movimento dianteiro que tem uma frequência prescri- ta que penetra facilmente em um interior da cabine a partir do exterior da cabine. Nesse in- terim, quando a seção de detecção de estado de movimento do veiculo detectou que o veí- culo está em movimento, o controlador 12 emite um som de notificação de movimento que tem uma frequência que é maior que a dita frequência prescrita. Devido à sua frequência " 30 baixa, o som de notificação de movimento de início dianteiro S penetra prontamente no inte- rior da cabine do velculo a partir do exterior do veiculo de tal modo que um motorista no in- terior da cabine do veículo possa escutar o som de notificação de movimento de início dian- teiro S e reconhecer sem erro que a notificação de inlcio de movimento dianteiro foi emitida sem o som de notificação de movimento dianteiro que é definido para um volume grande 35 (isto é, sem assustar as pessoas em uma área circundante). Nesse Ínterim, o som de notifi- cação de movimento dianteiro D é definido para uma frequência comparativamente alta que não penetra prontamente em um interior da cabine a partir de um exterior da cabine de tal
' modo que o som de notificação de movimento dianteiro D não seja ouvido desnecessaria- mente por um motorista no interior da cabine.
Como resultado, o som de notificação de mo- . vimento dianteiro não se torna um incômodo desagradável para o motorista.
A seção de detecção de intenção de movimento de inlcio é configurada para detec-
, 5 tar se o veículo está em um estado de direção e a velocidade do veículo é menor que uma velocidade prescrita do veículo que indica que o veiculo está parado, e o meio de detecção de estado de movimento é configurado para detectar se a velocidade do veiculo é igual a ou maior que a velocidade prescrita do velculo.
É ininteligível emitir o som de notificação de movimento dianteiro enquanto o veiculo já está se movendo, e o som de notificação de mo- lO vimento dianteiro se torna um incômodo desagradável para um motorista se for emitido con- tinuamente enquanto o veículo está parado.
Nesse Ínterim, é possÍvel detectar um período de tempo curto de imediatamente antes de o veículo ser iniciado em movimento até o veicu- lo começar a se mover através da determinação de que o veículo está para iniciar o movi- mento quando o veículo está tanto em um estado parado quanto em um estado de direção- . 15 Como resultado, o som de notificação de movimento de início dianteiro S pode ser emitido
. por um período de tempo apropriadamente curto em um tempo apropriado.
Na modalidade ilustrada, o som de notificação de movimento de inicio dianteiro S é emitido quando qs resultados da etapa S12, da etapa S13 e da etapa S14 são todos Sim, isto é, quando o motorista concluiu uma operação de seleção de faixa D e uma operação de 20 desengate de freio (de tal modo que a chave de freio 15 esteja desligada). Normalmente, quando um motorista está indo iniciar a direção de um veículo para a frente, o motorista mu- da a faixa selecionada da faixa P para a faixa D enquanto abaixa o pedal de freio e então, o motorista move seu pé a partir do pedal de freio para o pedal de acelerador e abaixa o pedal de acelerador.
Dessa forrna, através da detecção de se tanto a operação de seleção de fai- 25 xa D quanto a operação de desengate de freio foram concluídas, o aparelho pode detectar se o motorista concluiu as operações na preparação para dirigir para frente e está esperan- do abaixar o acelerador, isto é, se o veículo está em um estado correspondente a um instan- te imediatamente antes de o veiculo começar a se mover.
Através da emissão do som de notificação de movimento de início dianteiro S quando a operação de seleção de faixa D e a " 30 operação de desengate de freio são concluídas, os pedestres em uma área circundante do veículo podem ser infomados sobre o fato de que o veículo começará a se mover para fren- te a partir de uma parada.
Com o programa de controle para o som de notificação de movimento de início di- anteiro S mostrado na Figura 2, durante um período quando um motorista está retornando 35 gradualmente o pedal de freio de um estado abaixado em direção a um estado liberado, mas ainda não liberou o pedal de freio, o controlador 12 pula para a etapa S15 e não emite o som de notificação de movimento de início dianteiro S, devido ao fato de que a chave de
' freio 15 ainda não foi mudada de ligada para desligada. Durante uma operação de retomo de pedal de freio como aquela descrita acima, existe uma possibilidade de a força de frena- . gem declinar e o velculo começar a se mover devido, por exemplo, a uma força de arrasto ou uma inclinação descendente de uma superfície da rodovia. Nesse tipo de situação, tam- . 5 bém, é necessário advertir os pedestres em uma proximidade do veículo. Entretanto, uma vez que uma notificação de um começo de movimento de veiculo dessa maneira ocorreria · após o veículo ter começado a se mover, o som de notificação de movimento dianteiro D (que serve para advertir sobre o movimento em progresso) é mais apropriado que o som de notificação de movimento de início dianteiro S (que indica um estado imediatamente antes 10 de o movimento iniciar). Adicionalmente, uma vez que o veículo está em movimento vagaro- samente com uma força de freio aplicado, a emissão do som de notificação de movimento de início dianteiro S poderia possivelmente dar aos pedestres na área circundante uma falsa impressão de que o veículo irá começar a se mover rapidamente (enquanto acelera). Portanto, nessa modalidade, conforme mostrado na Figura 3, quando o veículo co- . 15 meçar a se mover para frente devido a uma operação de retorno de frenagem lenta durante
W a qual o som de notificação de movimento de inicio dianteiro S não é emitido, o controlador 12 prossegue da etapa S21 da Figura 3 para as etapas S24 a S26. Então, quando a veloci- dade do veículo V é determinada como sendo igual a ou maior que a velocidade do velculo de determinação de parada Vs na etapa S26, o controlador 12 prossegue para a etapa S27 20 e emite o som de notificação de movimento dianteiro D. Dessa forma, quando um motorista executa uma operação de retorno gradual do pedal de freio enquanto o veículo está em um estado parado e o veículo começa a se mover devido a uma força de frenagem diminuída, o som de notificação de movimento de início dianteiro S é cancelado e q som de notificação de movimento dianteiro D é emitido imedia- 25 tamente de modo que um pedestre na área circundante possa ser avisado sobre o movi- mento do veículo pelo som de notificação de movimento dianteiro D (que é destinado a ad- vertir sobre o movimento em progresso) em vez do som S menos apropriado (que é desti- " nado a advertir o impedimento do movimento). Ademais, uma vez que o som de notificação de movimento de início dianteiro S, que é normalmente emitido imediatamente antes de o " 30 movimento iniciar, não é emitido, os pedestres em uma área circundante podem reconhecer que o veículo está em movimento vagarosamente. Nessa modalidade, conforme mencionado anteriormente, o som de notificação de movimento de início dianteiro S é um som de notificação em uma região prescrita de fre- quências comparativamente baixas que penetram facilmente no interior da cabine do veículo 35 a partir do exterior da cabine do veículo e pode ser prontamente ouvido pelo motorista. Des- sa forma, uma vez que o motorista pode reconhecer facilmente quando a notificação de iní- cio de movimento dianteiro foi emitida, o motorista também pode reconhecer facilmente que a 35/35 ¶ ' o som de notificação de movimento de início dianteiro S não foi emitido durante uma opera- ção lenta de retorno de pedal de freio. Como resultado, com essa modalidade, o motorista . não irá pensar erroneamente que o som de notificação de movimento de inicio dianteiro S foi emitido durante uma operação lenta de retorno de pedal de freio e o motorista irá consi- . 5 derar que uma pessoa próxima ao veículo não ouviu o som de notificação de movimento de inicio dianteiro S e não está atenta ao começo de movimentação do veículo. Dessa forma, o . motorista pode tentar dirigir seguramente e uma grande vantagem em termos de direção segura pode ser alcançada. Embora somente as modalidades selecionadas tenham sido escolhidas para ilustrar 10 a presente invenção, será evidente para aqueles elementos versados na técnica a partir dessa revelação que varias alterações e modificações podem ser feitas no presente docu- mento sem que se afaste do escopo da invenção conforme definida nas reivindicações ane- xas. Por exemplo, embora a modalidade anteriormente explicada apresente a ideia de defi- nir uma frequência do som de notificação de movimento dianteiro D de uma maneira especi- . 15 al, conforme já explicado, o som de notificação de movimento reverso (R), também, é um
V som de notificação de movimento e é aceitável definir uma frequência do som de notificação de movimento reverso R de uma maneira similar conforme o som de notificação de movi- mento dianteiro D para obter um efeito similar. Ademais, não é necessário que todas as van- tagens estejam presentes em uma modalidade particular ao mesmo tempo. Cada caracterís- 20 tica que é exclusiva da técnica anterior, sozinha ou em combinação com outras característi- cas, também deve ser considerada uma descrição separada de invenções adicionais pelo depositante, que inciui os conceitos estru'turais e/ou funcionais incorporados por tais carac- terísticas. Dessa forma, as descrições anteriores do aparelho de emissão de som de notifi- cação de veículo são fornecidas para ilustração apenas e não para o propósito de limitar a 25 invenção conforme definido pelas reivindicações anexas e seus equivalentes.
.

Claims (1)

REIVINDICAÇÕES
1.Aparelho de emissão de som de notificação de veículo CARACTERIZADO por compreender: um dispositivo de emissão de som configurado para emitir um som de notificação 5 de movimento para o exterior de um veículo para informa~ uma pessoa em uma área circun- dante ao veículo que o veículo irá se mover ou está se movendo; e um dispositivo de controle de som de notificação configurado para operar o disposi- tivo de emissão de som em resposta à ocorrência de uma condição de veículo, em que o dispositivo de controle de som de notificação define o som de notificação de movimento do 1O dispositivo de emissão de som para uma frequência em uma faixa de 1,5 kHz a 6 kHz de tal modo que o som de notificação de movimento seja audível pela pessoa na área exterior que circunda o veículo, mas inaudível para um ocupante do veículo em um interior da cabine fechada do veículo, o dispositivo de controle de som de notificação mantendo um volume de som do som de notificação de movimento emitido a um nível constante enquanto a frequência do som de notificação de movimento é aumentada conforme a velocidade do veículo aumenta.
2.Aparelho de emissão de som de notificação de veículo de acordo com a reivindi- cação 1, CARACTERIZADO pelo fato de que: o dispositivo de controle de som de notificação define o som de notificação de mo- vimento do dispositivo de emissão de som em uma frequência em uma faixa de 2 kHz a 4 kHz.
3.Aparelho de emissão de som de notificação de veículo de acordo com qualquer uma das reivindicações 1 a 2, CARACTERIZADO pelo fato de que: o dispositivo de controle de som de notificação inclui uma seção de detecção de in- tenção de movimento de início do motorista que detecta uma intenção do motorista para iniciar o movimento do veículo, e uma seção de detecção de estado de movimento de veícu- lo que detecta o movimento do veículo, o dispositivo de emissão de som emite um som de notificação de movimento de iní- cio dianteiro que tem uma frequência prescrita que penetra em um interior da cabine a partir de um exterior de cabine de tal modo que o som de notificação de movimento de início dian- teiro seja inaudível para um ocupante do veículo em resposta à seção de detecção de inten- ção de movimento de início do veículo que detecta a intenção do motorista para iniciar o movimento do veículo e a seção de detecção de estado de movimento de veículo que não detecta que o veículo está em movimento, e o dispositivo de emissão de som emite o som de notificação de movimento com uma frequência que é maior que a frequência prescrita do som de notificação de movimento de início dianteiro em resposta à seção de detecção de estado de movimento de veículo que detecta que o veículo está em movimento.
5.Aparelho de emissão de som de notificação de veículo de acordo com a reivindi- cação 3, CARACTERIZADO pelo fato de que: a seção de detecção de intenção de movimento de início detecta a intenção do mo- torista para iniciar o movimento do veículo com base em um estado de direção do veículo 5 existente e uma velocidade do veículo que é menor que uma velocidade prescrita do veículo que indica que o veículo está parado; e a seção de detecção de estado de movimento de veículo detecta o movimento do veículo com base na velocidade do veículo que é igual a ou maior que a velocidade prescrita do veículo. 1O 6.Aparelho de emissão de som de notificação de veículo de acordo com qualquer uma das reivindicações 1 a 4, CARACTERIZADO pelo fato de que: o dispositivo de controle de som de notificação controla o dispositivo de emissão de som para produzir o som de notificação de movimento como um som de notificação de mo- vimento dianteiro mediante a determinação da condição de veículo está em um estado indi- cativo de um estado do veículo de avanço dianteiro e como um som de notificação de mo- vimento reverso mediante a determinação da condição de veículo está em um estado indica- tivo de um estado do veículo de avanço reverso, em que o som de notificação de movimento dianteiro é diferente do som de notificação de movimento reverso.
6.Aparelho de emissão de som de notificação de veículo CARACTERIZADO por compreender: um dispositivo de emissão de som configurado para emitir um som de notificação de movimento para um exterior de um veículo no qual o aparelho de emissão de som de notificação de veículo é montado para informar uma pessoa em uma área circundante que o veículo irá se mover ou está se movendo; e um dispositivo de controle de som de notificação configurado para operar o disposi- tivo de emissão de som em resposta à ocorrência de uma condição de veículo, em que o dispositivo de controle de som de notificação define o som de notificação de movimento do dispositivo de emissão de som para uma frequência em uma faixa de frequência seleciona- da em que as curvas de nível de volume alto iguais correspondem a um nível de pressão de som mínimo e o som de notificação de movimento é audível por uma pessoa em uma área exterior circundante ao veículo, mas inaudível para um ocupante do veículo em um interior da cabine fechado em que as frequências na faixa de frequência selecionada não penetram facilmente no interior da cabine a partir do exterior do veículo devido à propriedade de iso- lamento de som do interior da cabine, o dispositivo de controle de som de notificação mantendo um volume de som do som de notificação de movimento emitido a um nível constante enquanto a frequência do som de notificação de movimento é aumentada conforme a velocidade do veículo aumenta.
à ;;> '·n·o'd·'à'x· |("::)") : l ,'t< \i Sensor de velocidade Controlador "m 15> de'om i ,<1J Chave de freío p de notificação 16g C, ,,, ,, ,nu,o , r>ú 17g Chave de volume ! t l \> 11 ·:""J Chavede gn"ção 12 "d Sensor de distância l (L) de obstáculo FlG. 1 0 Controle de som de notificação de movimento dianteiro de início lnício
P s11 Não eículo em estado conduzível? V < Vs ou Ignlção lígada? Sim S12 jmudado parta dirigir (D) r"j Não ±quanto chave de freio estava e>-—i ~ estado desligado? i s13 Sim : have de frelo mudada de llgád Não ~ ;ara desllgada enquanto dlrigir ^7 S14 " J9L estava se|ec(onado? I Sim udança para dlrlgir (D) e mudança m Nãcj ~have de freio de llgada para desllgadY' "l ~ ocorrem sImultaneamente? I µ . I. ,, Slm b A——TÁ >15 I Emitlr som "S" .
Fim FlG. 2 e " 217 y Controle de notificação de som de movimento dianteiro Início S2,1 Sm S24~ "om S emitido" 4' Não L-\ Nh l "" S22 _ , l eículo em estado conduzÍvej> \ y tempo prescrlto \ Não S25 "_7 " < decorrido (po' . >—m Sim selecionado? Nã' ' ~> dlríglr(D) t ~~, > >exempIo, 500 ms)?/ I S\34, J . . r sk C\js" I LNão ~ " S23-j , 1 dlminu|çà: "" I g'"dual j | Slm ,y \ V " Vs? ·'°"=" '°"LL' I I~_C \MexisteMepor > \ 10 segundos? / sim 1 S35 Não Não estadonar(P) ou neutro.
. I S36\(")se'e'Qna'W/ Sim l Não ÍI =~— S27 jemltlr som "D" <V<VS? S28 q _=, si" , V 2 30km/h? SZ9 Nãc' S'm S32 S31 I >V<25km/h? >—1 / Não Slm lminuir gradualment. som "D" emltldo?' ¢d » )"'"':e#,lmemer33i li -— -^·
END FlGm 3 m
"" 317 0
Controle de som de notificação de movimento reverso
Início
S41 Não veícuio em estado conduzível?
SIm I ,~ S42 %
Não ,I rBver5o (R) $0 ec onado?
- j Não - S44 Slm l estaclonar (P) ou " I (Dlrlglr) Wneutro.(N)wseIeci2nado?i
S45, Slm. ) S43
V < Vs? Yão (veículo em movímento) einitk som de seieção de falxa R no 'Sim (veículo sem I lnterior da W I movlmento) I I cablne em sincronização com som R (som intermitente) S46 0 dimlnuir gradualmente som "R"
f47 emttlr som "R" (som intermltente)
Fim
F|Gn 4
¥ a B
" y
>
Controle de proibição de som de notificação lnício
S51
Chave de mudo Iigada? Não
S527 I SL" Yl prolblr emlssão de som de notlflcação I
S53 N'° < V > 30kÚh' YS54
Sim I ' cancelar emissão de som de notificação
Fim
FlG. 5 Controle de aumento de voIume som de notificação
Início
S61 have de aumento de som llgada Não
S62 Sim aumentar volume de som de notificação
S63 ão<empo prescrito decorrido? S64 ,an,,!a , ,::: Lmmmé d, d } om de n,otificação
Fim
FlG. 6
_ _ ¶ ÁÍ 5/7 - 0 T' 'Y Propriedade de isolamento de som no interior da cabine Característica de transferência acústica (dB) 25QHZ 0 6 u 315Hz : 0 h
P 40OHZ b 0 0
SOOHZ 0
K 0 630Hz
G 0 e 80OHZ , §' a 0 Frequência central de 1 khz q ¶ oitava 1/3 (Hz) 0
1.2SKHZ ; ).))j)z'))),)-) f q """"i i if ii e : 4KHZ ) H ) « Veículo A ,| I :""T" Veículo B 0 - - -6-- - 0 l 6KHZ Í "" ; i I ) FlG. 7 ¶
q -! 617 " 0 ¶"' 'Y Curvas de nivel de voIume alto Íguais · 13Oj\ I ' j l I l 1 20 f \ \ Novo padrão internaclonai (ISQ226) — 110 I ?\\::fg2'te'naciona| antigo — _ _ tP 100FC X "" lOOphon ) l l ~ g,jf \ I>"i> C"—"bjr i I" m I r X ~~ ~ : 80F\\ " b ~~~ 80 ~ n r 'L ~ j
O : 70 )- Üj\, \ r """" "" ~ /i \ m i 6of % \,,M """~ ~ 6Q // "\ J ~ Z so r \\\\ \"ír "" "% ~ / ' . < i ,,'O Ií 20 f \t:,"X;<: N>~" - >>3°) I -~ \Z l j'jj /"\ " — —~Q~d I // ' r>,. , " / f 10 ! ~ Faixa de rBquênc'a ~ % l audível ideal ~ 0)- ~ "J()16 31.5 631 | 125 l 250 l 500 l 1000 l 2000 _]4000 , 8000 16000 Frequência (Hz) id " N 1500 L, 6000 Faixa de frequência adequadamente audível F|Ge 8
W - m
® -< 7/7 " 0 ~ y Frequência 0 1 " (Hz) ^ 0
B l' F
W ¶ q
Ò f f
H 0 g f r
P ¶ k #
P 4 § q B Ç &
Ê ¥
V
P k V b t t ¶ B ,.> Vs 30km/h V a * Velocidade do veículo 0 FlG. 9 l' m
T" 3 ti . 1l1 " '·k ~ Y \ RESUMO "APARELHO DE EMISSÃO DE SOM DE NOTIFICAÇÃO DE VEÍCULO" . Trata-se de um aparelho de emissão de som de notificação de velculo que é basi- camente fornecido com um dispositivo de emissão de som (1, 11) e um dispositivo de con- 5 trole de som de notificação (12). O dispositivo de emissão de som (1, 11) é configurado para r emitir um som de notificação de movimento para"um exterior de um velculo para informar uma pessoa em uma área circundante ao veiculo que o veículo irá se mover. O dispositivo — de controle de som de notificação (12) é configurado para operar o dispositivo de emissão de som (1, 11) em resposta à ocorrência de uma condição de veículo. O dispositivo de con- lO trole de som de notificação (12) define o som de notificação de movimento do dispositivo de emissão de som (1, 11) para uma frequência em uma faixa de 1,5 KHZ a 6 KHz.
b
M %
D
BR112012019926-9A 2010-02-09 2011-02-07 Aparelho de emissão de som de notificação de veículo. BR112012019926A2 (pt)

Priority Applications (7)

Application Number Priority Date Filing Date Title
JP2010026123A JP5800461B2 (ja) 2010-02-09 2010-02-09 車両の警報音発生装置
JP2010026117A JP5526839B2 (ja) 2010-02-09 2010-02-09 車両の警報音発生装置
JP2010-026117 2010-02-09
JP2010026118A JP5521600B2 (ja) 2010-02-09 2010-02-09 車両の警報音発生装置
JP2010-026118 2010-02-09
JP2010-026123 2010-02-09
PCT/IB2011/000199 WO2011098881A1 (en) 2010-02-09 2011-02-07 Vehicle notification sound emitting apparatus

Publications (1)

Publication Number Publication Date
BR112012019926A2 true BR112012019926A2 (pt) 2021-03-30

Family

ID=44071014

Family Applications (1)

Application Number Title Priority Date Filing Date
BR112012019926-9A BR112012019926A2 (pt) 2010-02-09 2011-02-07 Aparelho de emissão de som de notificação de veículo.

Country Status (7)

Country Link
US (1) US8669858B2 (pt)
EP (1) EP2534005B1 (pt)
CN (1) CN102753392B (pt)
BR (1) BR112012019926A2 (pt)
MX (1) MX2012009234A (pt)
RU (1) RU2530178C2 (pt)
WO (1) WO2011098881A1 (pt)

Families Citing this family (24)

* Cited by examiner, † Cited by third party
Publication number Priority date Publication date Assignee Title
DE102010045996A1 (de) * 2010-09-18 2012-03-22 Volkswagen Ag Fahrzeug mit Elektroantrieb
CN103402860B (zh) * 2011-02-28 2016-03-16 本田技研工业株式会社 跨骑式电动车辆的车辆接近告知装置
US8892333B2 (en) * 2011-03-09 2014-11-18 Denso Corporation Vehicle rank distinction device for vehicle and travel sound generator device
JP2013166538A (ja) 2011-10-31 2013-08-29 Denso Corp 車両存在通報装置
JP5772721B2 (ja) * 2012-05-24 2015-09-02 アンデン株式会社 車両接近通報装置
US9679474B2 (en) * 2012-11-06 2017-06-13 Toyota Jidosha Kabushiki Kaisha Other-vehicle detection apparatus, driving assistance apparatus, and other-vehicle detection method
JP6083347B2 (ja) 2013-07-30 2017-02-22 アンデン株式会社 車両接近通報装置
CN103568941B (zh) * 2013-11-19 2017-02-15 浙江吉利汽车研究院有限公司 一种汽车驾驶的控制装置及其控制方法
JP6017499B2 (ja) * 2014-06-26 2016-11-02 京セラドキュメントソリューションズ株式会社 電子機器および報知音出力プログラム
US9661402B2 (en) 2014-07-15 2017-05-23 The Nielsen Company (Us), Llc Embedding information in generated acoustic signals
GB201414760D0 (en) 2014-08-20 2014-10-01 Jaguar Land Rover Ltd Use of active noise system
US20160118037A1 (en) * 2014-10-28 2016-04-28 Hyundai Motor Company Apparatus for outputting protecting sound in quieting vehicle
US10453325B2 (en) 2015-06-01 2019-10-22 Apple Inc. Creation of reminders using activity state of an application
US9603123B1 (en) 2015-06-04 2017-03-21 Apple Inc. Sending smart alerts on a device at opportune moments using sensors
US10235863B2 (en) * 2015-06-05 2019-03-19 Apple Inc. Smart location-based reminders
GB2542846A (en) * 2015-10-02 2017-04-05 Ford Global Tech Llc Hazard indicating system and method
JP6443418B2 (ja) * 2016-10-03 2018-12-26 トヨタ自動車株式会社 車両運転支援装置
DE102017204332A1 (de) * 2017-03-15 2018-09-20 Audi Ag Akustisches Fahrzeugwarnsystem für ein Kraftfahrzeug mit integrierter Funktion zur Warn-Schallzeichenabgabe
JP6646080B2 (ja) * 2018-01-22 2020-02-14 本田技研工業株式会社 能動型効果音発生装置
EP3579020B1 (de) * 2018-06-05 2021-03-31 Elmos Semiconductor SE Verfahren zur erkennung eines hindernisses mit hilfe von reflektierten ultraschallwellen
CN108891347B (zh) * 2018-06-22 2021-03-02 北京长城华冠汽车技术开发有限公司 车距实时告警系统和告警方法
US11059420B2 (en) 2019-01-25 2021-07-13 Volvo Car Corporation Acoustic vehicle alerting system and method
CN109703455A (zh) * 2019-01-29 2019-05-03 合肥思艾汽车科技有限公司 一种环境自适应的电动汽车低速行驶警示系统及方法
CN110065434B (zh) * 2019-04-15 2021-08-20 中科上声(苏州)电子有限公司 一种电动汽车的行人警示方法及系统

Family Cites Families (32)

* Cited by examiner, † Cited by third party
Publication number Priority date Publication date Assignee Title
JP3044634B2 (ja) 1991-06-04 2000-05-22 富士通株式会社 半導体記憶装置
JP3257012B2 (ja) 1992-01-30 2002-02-18 いすゞ自動車株式会社 警告音発生装置
JPH05213112A (ja) 1992-01-31 1993-08-24 Suzuki Motor Corp 車両用警報装置
FR2687623B1 (fr) * 1992-02-20 1994-05-27 Texton Agencement generateur de signaux d'avertissement sonore et de signaux de sirene d'alarme, notamment pour vehicules automobiles.
JPH0736504U (ja) 1993-11-30 1995-07-04 株式会社三ツ葉電機製作所 疑似エンジン音発生装置
JPH07182587A (ja) * 1993-12-21 1995-07-21 Honda Motor Co Ltd 電気車両用擬似音発生装置
JPH07205753A (ja) 1994-01-13 1995-08-08 Matsushita Electric Ind Co Ltd 電気自動車用警報装置
JP3625073B2 (ja) 1994-05-18 2005-03-02 ヤマハ発動機株式会社 電気車両の警報音装置および電気車両
JP3648759B2 (ja) 1994-06-27 2005-05-18 いすゞ自動車株式会社 車両後退警報装置
RU95101492A (ru) * 1995-02-01 1996-12-20 Ю.Ю. Рахинский Приставка звуковых сигналов автодорожного и железнодорожного транспорта
US5850453A (en) 1995-07-28 1998-12-15 Srs Labs, Inc. Acoustic correction apparatus
JPH1083187A (ja) 1996-09-09 1998-03-31 Toyota Motor Corp ハイブリッド車両
JPH11245722A (ja) 1998-03-02 1999-09-14 Fuji Electric Co Ltd 車両の警報装置
JP2002233001A (ja) 2001-01-31 2002-08-16 Fujitsu Ten Ltd 擬似エンジン音制御装置
JP2002238101A (ja) 2001-02-08 2002-08-23 Denso Corp 電動自動車の警告発生装置
CA2407283A1 (fr) * 2002-10-21 2004-04-21 Maurice Lemieux Retroviseur-avertisseur
JP2004136831A (ja) 2002-10-21 2004-05-13 Takumakkusu:Kk 音響発生装置および自動車
CN2647669Y (zh) * 2003-09-12 2004-10-13 永福电器股份有限公司 无线声音接收装置
JP4507554B2 (ja) 2003-10-23 2010-07-21 日産自動車株式会社 車両および車両のモータ制御方法
JP2005219715A (ja) 2004-02-09 2005-08-18 Pioneer Electronic Corp 擬似音発生装置、車両、擬似音発生方法および擬似音発生プログラム
US20070063827A1 (en) 2004-08-24 2007-03-22 Ferrone Christopher W Back up alarm system
JP2005343360A (ja) 2004-06-04 2005-12-15 Anden 低騒音車両用警報装置
WO2006077997A1 (ja) 2005-01-19 2006-07-27 Toyota Jidosha Kabushiki Kaisha 車両の警報装置
JP2006264390A (ja) 2005-03-22 2006-10-05 Yamaha Corp 車両の警報音装置
JP2009040317A (ja) * 2007-08-10 2009-02-26 Toyota Motor Corp 車両接近告知装置
JP2009040318A (ja) * 2007-08-10 2009-02-26 Toyota Motor Corp 車両接近告知装置
US8204243B2 (en) * 2007-09-21 2012-06-19 United Parcel Service Of America, Inc. Synthetic engine sound for electric vehicle based on detected direction of travel
JP5077118B2 (ja) 2008-07-17 2012-11-21 コニカミノルタビジネステクノロジーズ株式会社 静電荷像現像用トナー
JP2010026117A (ja) 2008-07-17 2010-02-04 Sony Corp 表示装置およびその駆動方法ならびに電子機器
JP4666016B2 (ja) 2008-07-17 2011-04-06 ソニー株式会社 表示装置およびその駆動方法ならびに電子機器
JP2010155507A (ja) * 2008-12-26 2010-07-15 Yamaha Corp エンジン回転数算出装置及びエンジン音生成装置
US8730020B2 (en) * 2010-08-31 2014-05-20 Nissan North America, Inc. System and method for producing an audible alert for a vehicle

Also Published As

Publication number Publication date
RU2012138537A (ru) 2014-03-20
US8669858B2 (en) 2014-03-11
RU2530178C2 (ru) 2014-10-10
CN102753392A (zh) 2012-10-24
EP2534005B1 (en) 2019-04-03
US20120299717A1 (en) 2012-11-29
EP2534005A1 (en) 2012-12-19
WO2011098881A1 (en) 2011-08-18
MX2012009234A (es) 2012-12-05
CN102753392B (zh) 2015-10-21

Similar Documents

Publication Publication Date Title
BR112012019926A2 (pt) Aparelho de emissão de som de notificação de veículo.
BR112012019928B1 (pt) aparelho emissor de som de notificação de veículo
BR112012019929B1 (pt) Aparelho de emissão de som de notificação de veículo
BR112012019977B1 (pt) aparelho de emissão de som de notificação de veículo.
JP5728932B2 (ja) 車両の警報音発生装置
JP5644478B2 (ja) 車両の警報音発生装置
JP5560753B2 (ja) 車両の警報音発生装置
JP5526839B2 (ja) 車両の警報音発生装置
JP5560752B2 (ja) 電動車両の警報音発生装置
JP5800461B2 (ja) 車両の警報音発生装置
JP5682294B2 (ja) 車両の警報音発生装置
JP5560751B2 (ja) 車両の警報音発生装置
JP5521600B2 (ja) 車両の警報音発生装置

Legal Events

Date Code Title Description
B06F Objections, documents and/or translations needed after an examination request according [chapter 6.6 patent gazette]
B06U Preliminary requirement: requests with searches performed by other patent offices: procedure suspended [chapter 6.21 patent gazette]
B09A Decision: intention to grant [chapter 9.1 patent gazette]
B16A Patent or certificate of addition of invention granted

Free format text: PRAZO DE VALIDADE: 20 (VINTE) ANOS CONTADOS A PARTIR DE 07/02/2011, OBSERVADAS AS CONDICOES LEGAIS. PATENTE CONCEDIDA CONFORME ADI 5.529/DF, QUE DETERMINA A ALTERACAO DO PRAZO DE CONCESSAO.