WO2011017788A1 - Processo de utilização de íons na agricultura - Google Patents

Processo de utilização de íons na agricultura Download PDF

Info

Publication number
WO2011017788A1
WO2011017788A1 PCT/BR2010/000243 BR2010000243W WO2011017788A1 WO 2011017788 A1 WO2011017788 A1 WO 2011017788A1 BR 2010000243 W BR2010000243 W BR 2010000243W WO 2011017788 A1 WO2011017788 A1 WO 2011017788A1
Authority
WO
WIPO (PCT)
Prior art keywords
agriculture
ions
copper
ml
human
Prior art date
Application number
PCT/BR2010/000243
Other languages
English (en)
French (fr)
Inventor
Milton De Moura Muzel
Original Assignee
Milton De Moura Muzel
Priority date (The priority date is an assumption and is not a legal conclusion. Google has not performed a legal analysis and makes no representation as to the accuracy of the date listed.)
Filing date
Publication date
Priority to BRBR-PI-0902837-4 priority Critical
Priority to BRPI0902837 priority patent/BRPI0902837A2/pt
Application filed by Milton De Moura Muzel filed Critical Milton De Moura Muzel
Publication of WO2011017788A1 publication Critical patent/WO2011017788A1/pt

Links

Classifications

    • AHUMAN NECESSITIES
    • A01AGRICULTURE; FORESTRY; ANIMAL HUSBANDRY; HUNTING; TRAPPING; FISHING
    • A01NPRESERVATION OF BODIES OF HUMANS OR ANIMALS OR PLANTS OR PARTS THEREOF; BIOCIDES, e.g. AS DISINFECTANTS, AS PESTICIDES, AS HERBICIDES; PEST REPELLANTS OR ATTRACTANTS; PLANT GROWTH REGULATORS
    • A01N59/00Biocides, pest repellants or attractants, or plant growth regulators containing elements or inorganic compounds
    • AHUMAN NECESSITIES
    • A01AGRICULTURE; FORESTRY; ANIMAL HUSBANDRY; HUNTING; TRAPPING; FISHING
    • A01CPLANTING; SOWING; FERTILISING
    • A01C21/00Methods of fertilizing, sowing or planting
    • AHUMAN NECESSITIES
    • A01AGRICULTURE; FORESTRY; ANIMAL HUSBANDRY; HUNTING; TRAPPING; FISHING
    • A01CPLANTING; SOWING; FERTILISING
    • A01C21/00Methods of fertilizing, sowing or planting
    • A01C21/002Apparatus for sowing fertiliser; Fertiliser drill
    • AHUMAN NECESSITIES
    • A01AGRICULTURE; FORESTRY; ANIMAL HUSBANDRY; HUNTING; TRAPPING; FISHING
    • A01NPRESERVATION OF BODIES OF HUMANS OR ANIMALS OR PLANTS OR PARTS THEREOF; BIOCIDES, e.g. AS DISINFECTANTS, AS PESTICIDES, AS HERBICIDES; PEST REPELLANTS OR ATTRACTANTS; PLANT GROWTH REGULATORS
    • A01N59/00Biocides, pest repellants or attractants, or plant growth regulators containing elements or inorganic compounds
    • A01N59/16Heavy metals; Compounds thereof
    • AHUMAN NECESSITIES
    • A01AGRICULTURE; FORESTRY; ANIMAL HUSBANDRY; HUNTING; TRAPPING; FISHING
    • A01NPRESERVATION OF BODIES OF HUMANS OR ANIMALS OR PLANTS OR PARTS THEREOF; BIOCIDES, e.g. AS DISINFECTANTS, AS PESTICIDES, AS HERBICIDES; PEST REPELLANTS OR ATTRACTANTS; PLANT GROWTH REGULATORS
    • A01N59/00Biocides, pest repellants or attractants, or plant growth regulators containing elements or inorganic compounds
    • A01N59/16Heavy metals; Compounds thereof
    • A01N59/20Copper
    • AHUMAN NECESSITIES
    • A61MEDICAL OR VETERINARY SCIENCE; HYGIENE
    • A61DVETERINARY INSTRUMENTS, IMPLEMENTS, TOOLS, OR METHODS
    • A61D11/00Washing devices or gaseous curative baths specially adapted to veterinary purposes

Abstract

Processo de utilização de íons na agricultura, onde os íons são obtidos através de um processo de ionização in situ e aplicados em plantas através de aparato de pulverizaçao que inclua o gerador de íons. A aplicação dos íons é com a finalidade biocida.

Description

PROCESSO DE UTILIZAÇÃO DE ÍONS NA AGRICULTURA

Trata a presente solicitação de Patente de Invenção de um inédito "PROCESSO DE UTILIZAÇÃO DE ÍONS NA AGRICULTURA, SAÚDE HUMANA E ANIMAL", especialmente de um processo estabelecido no âmbito da produção de íons, particularmente os cátions, com finalidade biocida, a funcionalidade de micronutriente, como microelemento para a manutenção da biossegurança, obtidos por ionização sob solução aquosa salinizada, direcionado tanto para a agricultura quanto para as áreas de saúde humana e animal.

BREVE HISTÓRICO

As dificuldades fundamentais visualizadas pelo inventor do presente pedido de patente encontram-se no uso de elementos químicos sob a forma molecular, para as diversas aplicações supramencionadas e, que serão delineadas com maior profundidade ao longo desse relatório. A forma molecular apresenta limites que desfavorecem a máxima eficiência dos ingredientes químicos ativos.

EMBASAMENTO TÉCNICO

Para compreender o sistema em sua forma integral, em que ocorre o processo de ionização, é necessário apontar alguns elementos que trazem definições que complementem esse entendimento.

Humphry DAVY (* 1778 - † 1829) foi o pioneiro nos estudos que impulsionaram o desenvolvimento da Eletroquímica - âmbito em que a presente proposta está mergulhada integralmente.

Michael FARADAY (* 1791 -†1867), químico e físico inglês foi discípulo e sucessor de Davy no Royai Institution of Great Britain (Londres - Inglaterra), acrescentando anos depois os elementos legais que perfazem o alicerce em que o presente documento se enquadra e compõe o entendimento eletroquímico até aos dias de hoje. Esses elementos legais formulados pelo cientista levam seu nome: Leis de Faraday. Complementando o alicerce teórico no contexto histórico da Eletroquímica, cabe ressaltar a etimologia do vocábulo íon - utilizado pela primeira vez por Faraday. A palavra íon vem do grego ion e, contempla uma partícula do verbo (grego) e/m/ e significa: caminhar, andar... Portanto, tem-se na essência da unidade léxica íon exatamente o que ocorre no processo da ionização (ou eletrólise) em que o íon - carregado positiva ou negativamente - 'caminha' de um pólo para outro, segundo a reação enunciada em solução específica.

A eletrólise - descoberta e testada por Davy e em seguida teoricamente descrita por Faraday é a produção de uma reação química pela passagem de uma corrente contínua por meio de um eletrólito, ou seja, um composto que contém íons (átomo ou grupo deles que se tornam por meio do processo disposto acima em elementos carregados eletricamente pelo ganho ou perda de elétrons) em solução.

CAMPO DE APLICAÇÃO

As aplicações que versam esse documento de patente se enquadram em três segmentos:

- Agricultura/ Nutrição:

Sabe-se que os minerais são elementos essenciais à manutenção da vida e, pode- se "...ligar todas as doenças ou disfunções dos organismos vivos às deficiências minerais." Mineral é um material sob a forma sólida natural (com algumas exceções), inorgânico, que compõe a litosfera (HOUAISS, 2001 ). Usando a tabela periódica (MENDELEIEV, 1834-1907) como referência para explanar acerca dos minerais, tem-se: os metais alcalinos, os metais alcalinos-terrosos, os metais de transição, os lantanídeos e actinídeos e, outros metais. Os que não se enquadram na categoria dos minerais são: os não-metais e os gases nobres.

Ao ressaltar a relevância dos micronutrientes na agricultura toca-se nas porções intrínsecas relacionadas aos minerais pois estes, compõe os oligoelementos necessários à manutenção das práticas da agricultura sustentável. Os principais motivos para a importância estabelecida aos micronutrientes são (LOPES, 1999): V "o inicio da ocupação da região dos cerrados, formada por solos deficientes em micronutrientes, por natureza;

o aumento da produtividade de inúmeras culturas com maior remoção e exportação de todos os nutrientes;

a incorporação inadequada de calcário ou a utilização de doses elevadas acelerando o aparecimento de deficiências induzidas;

o aumento na proporção de produção e utilização de fertilizantes NPK de alta concentração, reduzindo o conteúdo incidental de micronutrientes nesses produtos; o aprimoramento da análise de solos e análise foliar como instrumentos de diagnose de deficiências de micronutrientes."

- Agricultura/ Biocida:

Dentre os elementos químicos potencialmente efetivos no combate aos patógenos responsáveis por doenças na agricultura o cobre tem função de destaque, atuando especificamente como fungicida e bactericida. Como já explanado, para atingir o valor necessário que resulte em controle de doenças é necessário disponibilizar grandes quantidades de moléculas de cobre, particularmente os sulfatos, oxicloretos e hidróxidos.

Outro acréscimo relevante quanto ao elemento Cu está na promoção sustentável do mesmo, quando delimita-se ao uso iônico, pois o volume de cobre utilizado na obtenção desses íons é irrisório frente ao volume de sulfatos de cobre

(forma molecular) usado como biocida.

O presente pedido propõe a disponibilização iônica do cobre como biocida, promovendo a dose letal ótima que não agrida e tampouco promova resistência aos microorganismos que em doses máximas porém com absorção mínima, resultam em seletividade de grupos de bactérias, dificultando o controle futuro das doenças em diversas culturas.

O cobre em si tem efeito direto sobre fungos e bactérias, seja evitando ou reprimindo a germinação dos esporos ou inibindo o desenvolvimento vegetativo, ou restringindo a multiplicação das células bacterianas. No contexto biocida, o mesmo participa de forma indireta estimulando a produção de fitoalexinas, ou indutores naturais de resistência. Tal composto, quando em quantidade adequada na planta, o que poderá ser alcançado pelo método ora apresentado, possibilita a redução da formação de peroxidases, e consequente acúmulo de peróxido. Tal componente tem importância e propriedades fungicida e fungistática, e bactericida e bacteriostática. Além disso, quando em quantidade adequada participa na fisiologia do etileno, o qual dispara os mecanismos necessários para a expressão gênica e consequente produção de indutores de resistência.

Indutores de resistência são substâncias ativas em concentrações fisiológicas, de atividades sistémicas e não sistémicas, capazes de atuar a curta e longas distâncias nos tecidos da planta, com durabilidade de semanas ou até mesmo por meses.

- Saúde humana/ nutrição:

Sabe-se dos elementos que compõe a Tabela Periódica, cerca de 50 deles estão presentes no corpo humano. A carência desses elementos-traço tem sido percebida nos indivíduos devido a diminuição da biodisponibilidade dos microelementos nos alimentos produzidos pelo modelo da agricultura vigente.

"O resultado é que embora os minerais, tanto macro quanto micro estejam presentes nos alimentos, estão em quantidade menor do que deveriam e a sua biodisponibilidade e capacidade de atividade biológica é inferior. Também a industrialização dos alimentos acrescenta a eles muitos aditivos químicos (corantes, aromatizantes, conservantes, acidulantes, estabilizantes, etc.) que são moléculas com capacidade queladora, ou sequestradora de minerais, reduzindo o aporte orgânico, principalmente dos microminerais." BONTEMPO, 2009

Uma das questões no âmbito da saúde humana que o presente processo pode contribuir é justamente porque mesmo que se faça a reposição de micronutrientes com o uso de alimentos orgânicos, integrais, não significa que a assimilação será plausível e, a suplementação de oligoelementos minerais também não é viável, como apresenta BONTEMPO (2009).

"... não se encontra no comércio comum o cálcio, o magnésio ou o zinco em forma atómica ou ionizada, mas os mesmos elementos combinados, tais como carbonato de cálcio, cloreto de magnésio, óxido de zinco, etc."

Sabe-se que a assimilação celular se faz por meio de íons e os micronutrientes atualmente disponíveis no mercado não estão sob essa forma.

TABELA : Micronutrientes essenciais ao corpo humano.

N°. MASSA PTO. PTO.

SÍMBOLO NOME GRUPO ATÓMICO ATÓMICA EBULIÇÃO FUSÃO DENSIDADE OXIDAÇÃO

Não- 2,34 g/mL

B Boro metais 5 10,81 1 2.550°C 2.300°C

Metal de 8,9 g/mL

Co Cobalto Transição 27 58,933 2.900°C 1.495°C 2+ 34

Metal de 7,19 g/mL

Cr Cromo Transição 24 51 ,996 2.665°C 1.875°C 2* 3" 6+ Metal de 8,96 g/mL

Cu Cobre Transição 29 63,54 2.595°C 1.083°C 1* 2* 3*

Metal de 7,86 g/mL 2* 3* 4* 6*

Fe Ferro Transição 26 55,847 3.000°C 1 ,536°C

Outro 5,32 g/mL

Ge Germânio Metal 32 72,59 2.830°C 937,4°C 4*

Não-metal 83,4 g/mL 1* 5* 7*

1 lodo 53 126,904 183°C 1 13,7°C

Metal 0,53 g/mL

Li Lítio Alcalino 3 6,939 1.330°C 108,5°C 1*

Metal de 7,43 g/mL 2* 3* 4* 6*

Mn Manganês Transição 25 54,938 2.150°C 1.245°C 7*

Metal de 10,2 g/mL 2* 3* 4* 5*

Mo Molibdênio Transição 42 95,94 5.560°C 2.610°C

Metal de 8,9

Ni Níquel Transição 28 58,71 2.730°C 1.453°C g/mL 2* 3*

Metal 1 ,53 g/mL

Rb Rubídio alcalino 37 85,47 688°C 38,9°C 1*

Não-metal 4,79 g/mL

Se Selênio 34 78,96 685°C 217°C 4* 6*

Metal 2,6 g/mL

Sr Estrôncio Alcalino- 38 87,62 1.380°C 768°C 2*

Terroso

Outros 7,3 g/mL

Sn Estanho Metais 50 1 18,69 2.270°C 2* 4*

Metal de 6,1 g/mL 2+ 3+ 4+

V Vanádio Transição 23 50,942 3.450°C 1 .900°C 5+

Metal de 7,14 g/mL

Zn Zinco Transição 30 65,37 906°C 419,5°C 2*

- Saúde humana/ biossegurança:

A biossegurança é um processo interdependente (funcional, operacional e comportamental) que busca o controle de infecções que beneficia tanto o operador quanto o usuário dos serviços de saúde. Há precauções padrão a serem efetivadas na prática em saúde que minimizam os riscos de infecção. A lavagem rotineira das mãos é um dos elementos essenciais a essa manutenção.

"... os germes aderidos nas mãos são repassados para outros objetos e pacientes, assim como se pode transferi-los para outras partes do corpo, como os olhos e nariz. Somente a lavagem das mãos com água e sabão irá remover estes germes adquiridos e evitar a transferência de microrganismos para outras superfícies." OPPERMANN & PIRES, 2003 Neste contexto do uso de íons que beneficiem a saúde humana e reconhecendo a propriedade biocida do Cobre e da Prata pode-se utilizar o princípio aqui pleiteado para torneiras e bebedouros.

- Saúde animal:

Os minerais possuem grande importância no âmbito da saúde animal. Em linhas gerais, esses microelementos fazem parte da estrutura dos tecidos. Por sua vez, também atuam como eletrólitos realizando a manutenção do equilíbrio ácido - base e regulam a pressão osmótica e permeabilidade celular. Outra função essencial é a responsabilidade pela ativação dos processos enzimáticos.

Na pecuária, as dietas consumidas pelos animais não correspondem, de forma geral, às necessidades exigidas para o desenvolvimento equilibrado desses animais e essa deficiência quanto à disponibilidade de micronutrientes traduz em preocupação aos pecuaristas.

"De acordo com os conhecimentos atuais, dos cerca de 50 minerais que o organismo contém, os microelementos essenciais aos processos metabólicos e que devem estar presentes na alimentação são: Ferro (Fe), Cobalto (Co), Cobre (Cu), lodo (I), Manganês (Mn), Zinco (Zn) e Selênio (Se) (...) estes são necessários aos animais em quantidades muito pequenas. Ultimamente tem-se acrescido mais alguns minerais à lista supramencionada, como o Flúor (F), Molibdênio (Mo), Cromo (Cr), Níquel (Ni), Vanádio (V) e Silício (Si)." TOKARNIA, DOBÈREINER, & PEIXOTO, 2000.

Uma das formas utilizadas por pecuaristas para que a suplementação, devido a falta de micronutrientes, seja efetivada é o uso de misturas minerais pretensamente 'completas'. O uso indiscriminado destes componentes desqualifica a suplementação, pois ao tomar uma atitude como essa, sem um diagnóstico preciso e individualizado do plantel, alguns perigos iminentes são vislumbrados.

A terminologia 'completa', à menção das misturas minerais, indica agregar o maior número de micronutrientes possível. Quando se decide por essa conduta sem maiores investigações corre-se o risco de suplementar sem necessidade, pois há regiões que a suplementação não é indicada e, como consequência, há desperdício. Outro risco observado é o perigo das interferências, quando há introdução de algum oligoelemento já existente, tornando-o em excesso e estes, desestabilizam o metabolismo do animal. A ausência, por outro lado, dos elementos-traço resultam em grandes dificuldades para um rebanho, da mesma forma que o excesso desequilibra.

Diante deste contexto, a presente invenção impulsiona a suplementação de micronutrientes no âmbito da saúde animal, acrescendo íons de oligoelementos essenciais à água utilizada no plantel, reduzindo custos, bem como ajustando as necessidades especificas do rebanho, a quantidade diagnosticada por especialista.

DO ESTADO DA TÉCNICA

Diante do contexto relacionado a agricultura, tem-se que os métodos atuais de reposição dos micronutrientes é realizado sob a forma molecular. Dessa forma, a planta inicialmente absorve os oligoelementos dispostos nesta maneira, porém capta o mínimo devido à própria disposição molecular. Em seguida, a planta realiza o transporte de micronutrientes para que este seja distribuído em nível celular e assim, haja assimilação real dos elementos essenciais à manutenção da saúde integral do vegetal. Para a entrada celular, há necessidade que o oligoelemento se encontre na forma iônica, preferencialmente. Durante todo o processo, desde a absorção, passando pelo transporte e, culminando na entrada celular ou distribuição, os elementos vão se perdendo devido a alguns fatores, como: condições do solo (textura, estrutura, umidade, pH) e, a forma como são disponibilizados esses nutrientes. Estes são absolutamente relevantes, pois por meio de sua forma disponível à planta, eles atingirão os níveis celulares em maior ou menor grau, e resultarão em maior ou menor nutrição vegetal, influenciando diretamente seu metabolismo.

"O transporte de uma substância através da membrana (celular) depende de seu tamanho e polaridade. Substâncias apoiares ou muito pequenas costumam passar livremente pela membrana. Contudo, a maior parte das moléculas (com elementos necessários à célula) são polares. O transporte de moléculas polares é feito com auxílio de proteínas transportadoras presentes nas membranas, denominadas canais, carreadores e bombas. Os canais, por exemplo, transportam íons pela simples abertura de um poro. Um canal aberto pode permitir a passagem de 108 íons/s (...) Os canais são limitados a íons e água..." DOS SANTOS, 2004.

Conforme tabela abaixo são descritos alguns microelementos que podem ser usados sob forma iônica e que apresentam essencialidade à nutrição animal:

TABELA: Elementos químicos relevantes à nutrição vegetal.

N°. MASSA PTO. PTO.

SÍMBOLO NOME GRUPO ATÓMICO ATÓMICA EBULIÇÃO FUSÃO DENSIDADE OXIDAÇÃO

Outros 2,70 g/mL

Al Alumínio metais 13 26,9815 2.450°C 660°C 3*

Não- 2,34 g/mL

B Boro metais 5 10,811 2.550°C 2.300°C 3*

Metal de 8,9 g/mL

Co Cobalto Transição 27 58,933 2.900°C 1 ,495°C 2* 3*

Metal de 8,96 g/mL

Cu Cobre Transição 29 63,54 2.595°C 1.083°C 2+ 3*

Metal de 7,86 g/mL 2* 3+ 4* 6'

Fe Ferro Transição 26 55,847 3.000°C 1.536°C

Metal de 7,43 g/mL 2+ 3* 4+ 6*

Mn Manganês Transição 25 54,938 2.150°C 1.245°C T

Metal de 10,2 g/mL 0, 24 3* 4+

Mo Molibdênio Transição 42 95,94 5.560°C 2.610°C 5*

Metal 0,97 g/mL

Na Sódio alcalino 11 22,9898 892°C 97,8°C r

Metal de 8,9

Ni Níquel Transição 28 58,71 2.730°C 1.453°C g/mL

Não-metal 2,42 g/mL

Si Silício 14 289,086 2.680°C 1.410°C 4*

Metal de 7,14 g/mL

Zn Zinco Transição 30 65,37 906°C 419,5°C "Na planta, o cobre está presente na forma de três proteínas: (i) proteínas azuis, as quais não apresentam atividade oxidase (ex, plastocianina); (ii) proteínas não-azuis, as quais produzem peroxidades e oxida os compostos mono fenólicos a difenóis e; (iii) proteínas multi-cúpricas, as quais contêm no mínimo quatro átomos de cobre por molécula, as quais atuam como oxidases (ex. ascorbato oxidase e lacase) e catalizam a reação 2AH2 + 02 -> 2A + 2H20. A citocromo oxidase é uma mistura de proteína composta por cobre e ferro, a qual catalisa a oxidação terminal na mitocôndria. Em condições de deficiência de cobre a atividade das proteínas cúpricas diminui drasticamente, com grandes prejuízos fisiológicos". BERNARD KNEZEK, 1997.

Em termos gerais, o cobre em particular é fundamental para a atividade de várias proteínas, imprescindíveis para o bom funcionamento da planta, incluindo a fotossíntese, metabolismo de nitrogénio, formação e acúmulo de carboidratos e processos de diferenciação, incluindo a lignificação dos tecidos. A lignificação em si é fundamental para a resistência física dos tecidos.

DA INVENÇÃO

Trata de um processo que faz a utilização de íons na agricultura, saúde humana e animal ao fornecer micronutrientes, ou quanto à ação biocida ou ainda na disposição de microelementos que favoreçam a biossegurança, resultante do processo de ionização que ocorre nos elementos químicos em solução salinizada e ativado por corrente elétrica.

OBJETIVO DA INVENÇÃO

Nesse pedido o que se almeja é o melhor resultado, maior potencialização e estabilização dos efeitos esperados dos elementos químicos ativos sobre os organismos vivos, com a menor utilização de recursos possível. Tal objetivo pode ser alcançado com a utilização de íons com carga positiva, pois é de conhecimento dos técnicos no assunto e comprovado cientificamente que a forma ideal para que se processe a efetiva absorção de oligoelementos pelos organismos vivos é a forma iônica e não a molecular.

A proposta da utilização de íons a serem aplicados no contexto agrícola, bem como na saúde humana e animal, visando a integralidade de cada um desses objetivos é absolutamente relevante, pois tem-se considerado a escassez de produtos naturais. Portanto, deve-se buscar por meio de desse pedido de processo, o manejo sustentável das operações e atividades que demandem o uso racional dos recursos naturais, culminando em efetiva redução de custos.

Basicamente, a invenção está sob a égide de que as quantidades-traço, ou seja, pequenas e necessárias porções absorvíveis pelos organismos vivos, essenciais à vida, são nanoelementos na forma iônica.

EXEMPLO AGRÍCOLA

Uso de cobre molecular para o combate da pinta preta, verrugose e melanose x uso de cobre ionizado.

Em um pomar citrícola, faz-se uso de cobre molecular para o combate da pinta preta, verrugose e melanose, pelo modelo preconizado internacionalmente. Para a presente representação, cada tanque utilizado na pulverização apresenta capacidade para 2000 I de calda. A massa de cobre molecular (sais) corresponde a 5 g/ I e, por planta encontra-se o equivalente a 10 g. A vazão na pulverização alcança 1 , 1 1 l/s.

Em determinado pomar citrícola, localizado no sudoeste paulista, delimitou-se 22995 plantas tratadas com a mesma finalidade, descrita no parágrafo anterior, porém utilizando-se cobre ionizado. O mesmo tanque com capacidade para 2000 I de calda foi utilizado, porém fora acoplado à máquina de pulverização, um ionizador específico. Foram utilizados 44000 I de calda para cobrir o número de plantas citadas em um período de onze horas. O ionizador apresentava cilindros de cobre com peso de 5.260g iniciais. No término da aplicação do cobre ionizado, o peso de cobre reduziu para 5.120g, representando um consumo de 140g de cobre. Portanto, a massa de cobre na forma iônica aplicada por planta foi de 0,0032g/ 1 e, a massa de cobre na forma iônica aplicada por planta correspondeu a 0,0064g, com a mesma vazão de 1 ,1 1 l/s.

Em tempo as duas modalidades de aplicação foram eficientes no combate as doenças.

Comparando-se as duas modalidades tem-se que a forma convencional de aplicação de cobre molecular a cada litro aplicado, neste exemplo, em um pomar citrícola é cerca de 1.562,5 vezes maior em relação a pulverização com cobre ionizado.

VANTAGENS DA INVENÇÃO

• a quantidade de cobre na forma molecular necessária à finalidade desejada, seja na nutrição ou como biocida, é muito superior que a quantidade iônica, pois esta é a forma preferencialmente absorvível pelo vegetal;

· no caso da ação biocida, a quantidade aplicada é crucial pela seletividade que microorganismos realizam diante de medicamentos, particularmente em altas doses com mínima absorção, resultando em bactérias, por exemplo, resistentes ao tratamento, denotando problemas futuros à cultura, reduzindo o espectro de elementos químicos aplicáveis para o mesmo combate;

· outro componente essencial ao produtor, no presente exemplo, citrícola, refere-se aos elevados custos para manutenção do pomar, pois o percentual utilizado com micronutrientes bem como ação biocida correspondem de 70 a 75% do custo total, dessa maneira o presente invento poderá contribuir de maneira absolutamente relevante nesse quesito, otimizando essa proporção, criando novos espaços para investimentos tecnológicos, que, em princípio apenas os grandes produtores teriam acesso.

A fim de melhor ilustrar o tanto quanto foi dito, seguem relacionadas as figuras abaixo de forma ilustrativa e não limitativa:

Figura 1 : Vista esquemática da aplicação do processo de utilização de íons na agricultura;

Figura 2: Detalhe da aplicação do processo de utilização de íons na agricultura.

O "PROCESSO DE UTILIZAÇÃO DE ÍONS NA AGRICULTURA, SAÚDE HUMANA E ANIMAL", objeto desta solicitação de Patente de Invenção, destina-se a viabilizar a utilização de íons, especialmente cátions, com a finalidade biocida, a funcionalidade de micronutriente, como microelemento para manutenção da biossegurança, obtidos do processo de ionização sob solução aquosa salinizada direcionada para a agricultura e para as áreas de saúde humana e animal.

O processo se baseia na utilização de íons na agricultura, saúde humana e animal capaz de fornecer micronutrientes, ou quanto a ação biocida ou ainda na disposição de microelementos que favoreçam a biossegurança, em que cada elemento resultante do processo de ionização ocorrente nos elementos químicos em solução salinizada ativado por corrente elétrica para diversos fins, como, por exemplo, na forma de micronutrientes para a agricultura.

A singularidade se faz na economia de ingredientes utilizados, pois os mesmos se enquadram no cerne da nanociência, uma vez que o presente processo integra-se no átomo carregado eletricamente denominado íon, e este, abriga a forma essencial para a manutenção intrínseca dos organismos vivos.

Mais particularmente, na agricultura os micronutrientes na forma iônica estão disponíveis no meio de pulverização (1 ) utilizado, em que um ionizador (2) específico está instalado junto ao elemento pulverizador cujo fluido ao passar pelo mesmo contrai os compostos necessários à nutrição vegetal sob forma metálica, em que tais componentes estão mergulhados em solução salinizada sob carga elétrica adequada.

Claims

REIVINDICAÇÕES
1 ) "PROCESSO DE UTILIZAÇÃO DE ÍONS NA AGRICULTURA, SAÚDE HUMANA E ANIMAL", caracterizado por cada elemento resultante do processo de ionização ocorrente nos elementos químicos em solução salinizada ativado por corrente elétrica para diversos fins.
2) "PROCESSO DE UTILIZAÇÃO DE ÍONS NA AGRICULTURA, SAÚDE HUMANA E ANIMAL", de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por na agricultura os micronutrientes na forma iônica estarem disponíveis no meio de pulverização (1 ) utilizado, em que um ionizador (2) específico está instalado junto ao elemento pulverizador cujo fluido ao passar pelo mesmo contrai os compostos necessários à nutrição vegetal sob forma metálica, em que tais componentes estão mergulhados em solução salinizada sob carga elétrica adequada.
PCT/BR2010/000243 2009-08-11 2010-07-27 Processo de utilização de íons na agricultura WO2011017788A1 (pt)

Priority Applications (2)

Application Number Priority Date Filing Date Title
BRBR-PI-0902837-4 2009-08-11
BRPI0902837 BRPI0902837A2 (pt) 2009-08-11 2009-08-11 processo de utilização de ìons na agricultura, saúde humana e animal

Applications Claiming Priority (1)

Application Number Priority Date Filing Date Title
US13/390,051 US20120189712A1 (en) 2009-08-11 2010-07-27 Process of use of ions in agriculture, animal and human health

Publications (1)

Publication Number Publication Date
WO2011017788A1 true WO2011017788A1 (pt) 2011-02-17

Family

ID=43585800

Family Applications (1)

Application Number Title Priority Date Filing Date
PCT/BR2010/000243 WO2011017788A1 (pt) 2009-08-11 2010-07-27 Processo de utilização de íons na agricultura

Country Status (3)

Country Link
US (1) US20120189712A1 (pt)
BR (1) BRPI0902837A2 (pt)
WO (1) WO2011017788A1 (pt)

Cited By (3)

* Cited by examiner, † Cited by third party
Publication number Priority date Publication date Assignee Title
US20140259907A1 (en) * 2013-03-15 2014-09-18 G-Ro Technologies, Llc Variable ion generation and delivery
US20150150264A1 (en) * 2013-07-02 2015-06-04 Jones-Hamilton Co. Alkali Metal Bisulfate Method
RU2668574C1 (ru) * 2017-10-23 2018-10-02 федеральное государственное бюджетное образовательное учреждение высшего образования "Ставропольский государственный аграрный университет" Способ опрыскивания сельскохозяйственных культур

Citations (4)

* Cited by examiner, † Cited by third party
Publication number Priority date Publication date Assignee Title
DE4410874A1 (de) * 1994-03-29 1995-10-05 Alvaro Prof Dr Affonso Verfahren und Vorrichtung zu Desinfektion von Ionenaustauscherschichten in Wasseraufbereitung
WO2000062609A1 (en) * 1999-04-15 2000-10-26 Agricare Ltd. Agents and methods for the control of fungal and bacterial diseases
JP2004290782A (ja) * 2003-03-26 2004-10-21 冨士雄 ▲高▼田 Cuイオンミネラル殺菌水発生装置とCuイオンミネラル殺菌水発生装置の使用方法
CN1683260A (zh) * 2004-04-12 2005-10-19 广州环方环保设备有限公司 一种循环水处理系统及其处理方法

Family Cites Families (6)

* Cited by examiner, † Cited by third party
Publication number Priority date Publication date Assignee Title
GB9505169D0 (en) * 1995-03-15 1995-05-03 Moloney James P Waveform
US6635676B2 (en) * 1999-04-28 2003-10-21 Regents Of The University Of Michigan Non-toxic antimicrobial compositions and methods of use
CA2315355C (en) * 1999-08-06 2011-12-20 Sterilox Medical (Europe) Limited Electrochemical treatment of an aqueous solution
US6890953B2 (en) * 2000-04-06 2005-05-10 Innovative Medical Services Process for treating water
US7479133B2 (en) * 2003-06-30 2009-01-20 Johnson & Johnson Consumer Companies, Inc. Methods of treating acne and rosacea with galvanic generated electricity
MX2009012462A (es) * 2007-05-18 2010-03-15 Agion Technologies Inc Composiciones agroquimicas bioactivas y usos de las mismas.

Patent Citations (4)

* Cited by examiner, † Cited by third party
Publication number Priority date Publication date Assignee Title
DE4410874A1 (de) * 1994-03-29 1995-10-05 Alvaro Prof Dr Affonso Verfahren und Vorrichtung zu Desinfektion von Ionenaustauscherschichten in Wasseraufbereitung
WO2000062609A1 (en) * 1999-04-15 2000-10-26 Agricare Ltd. Agents and methods for the control of fungal and bacterial diseases
JP2004290782A (ja) * 2003-03-26 2004-10-21 冨士雄 ▲高▼田 Cuイオンミネラル殺菌水発生装置とCuイオンミネラル殺菌水発生装置の使用方法
CN1683260A (zh) * 2004-04-12 2005-10-19 广州环方环保设备有限公司 一种循环水处理系统及其处理方法

Cited By (4)

* Cited by examiner, † Cited by third party
Publication number Priority date Publication date Assignee Title
US20140259907A1 (en) * 2013-03-15 2014-09-18 G-Ro Technologies, Llc Variable ion generation and delivery
US9831641B2 (en) * 2013-03-15 2017-11-28 G-Ro Technologies, Llc Variable ion generation and delivery
US20150150264A1 (en) * 2013-07-02 2015-06-04 Jones-Hamilton Co. Alkali Metal Bisulfate Method
RU2668574C1 (ru) * 2017-10-23 2018-10-02 федеральное государственное бюджетное образовательное учреждение высшего образования "Ставропольский государственный аграрный университет" Способ опрыскивания сельскохозяйственных культур

Also Published As

Publication number Publication date
BRPI0902837A2 (pt) 2011-04-12
US20120189712A1 (en) 2012-07-26

Similar Documents

Publication Publication Date Title
Adrees et al. The effect of excess copper on growth and physiology of important food crops: a review
Baszyński Interference of Cd2+ in functioning of the photosynthetic apparatus of higher plants
Ronen Micro-elements in agriculture
Shah et al. Comparative study of heavy metals in soil and selected medicinal plants
Čáp et al. Reactive oxygen species in the signaling and adaptation of multicellular microbial communities
Shabala et al. Membrane transporters mediating root signalling and adaptive responses to oxygen deprivation and soil flooding
Welch et al. Induction of iron (III) and copper (II) reduction in pea (Pisum sativum L.) roots by Fe and Cu status: Does the root-cell plasmalemma Fe (III)-chelate reductase perform a general role in regulating cation uptake?
Qian et al. Effects of streptomycin on growth of algae Chlorella vulgaris and Microcystis aeruginosa
Stegemeier et al. Speciation matters: Bioavailability of silver and silver sulfide nanoparticles to alfalfa (Medicago sativa)
Stephan et al. Nicotianamine: mediator of transport of iron and heavy metals in the phloem?
Boldrin et al. Soil and foliar application of selenium in rice biofortification
Bell et al. Micronutrients for sustainable food, feed, fibre and bioenergy production
Haug et al. How to use the world's scarce selenium resources efficiently to increase the selenium concentration in food
Leao et al. Allelopathy in freshwater cyanobacteria
Trejo-Téllez et al. Nutrient solutions for hydroponic systems
Strickland et al. Trophic cascade alters ecosystem carbon exchange
Xu et al. Rapid reduction of arsenate in the medium mediated by plant roots
Graham et al. Breeding for staple food crops with high micronutrient density
Faizan et al. Zinc oxide nanoparticle-mediated changes in photosynthetic efficiency and antioxidant system of tomato plants
Baldia et al. Nitrogen and phosphorus utilization in the cyanobacterium Microcystis aeruginosa isolated from Laguna de Bay, Philippines
Guentzel et al. Postharvest management of gray mold and brown rot on surfaces of peaches and grapes using electrolyzed oxidizing water
Srivastava et al. Effects of selenium on arsenic uptake in arsenic hyperaccumulator Pteris vittata L.
AU2005292966B2 (en) Neutral electrolytic water, neutral electrolytic water production method, and neutral electrolytic water production device
Wang et al. Metabolic adaptations to ammonia-induced oxidative stress in leaves of the submerged macrophyte Vallisneria natans (Lour.) Hara
Zhang et al. Difference in selenite absorption between high-and low-selenium rice cultivars and its mechanism

Legal Events

Date Code Title Description
121 Ep: the epo has been informed by wipo that ep was designated in this application

Ref document number: 10807819

Country of ref document: EP

Kind code of ref document: A1

NENP Non-entry into the national phase in:

Ref country code: DE

WWE Wipo information: entry into national phase

Ref document number: 13390051

Country of ref document: US

122 Ep: pct application non-entry in european phase

Ref document number: 10807819

Country of ref document: EP

Kind code of ref document: A1